sicnot

Perfil

Desporto

Richard Gasquet diz que regresso de Sharapova será duro

O tenista francês Richard Gasquet, campeão do Estoril Open de 2015, disse hoje que o regresso aos 'courts' da russa Maria Sharapova "será duro", depois de cumprir os 15 meses de suspensão por doping.

Gasquet, que cumpriu dois meses e meio de suspensão, em 2009, por ter acusado cocaína, considera que Sharapova enfrentará algumas dificuldades quando voltar à competição.

"Nunca é fácil regressar [aos 'courts'] depois de tanto tempo. Mental e fisicamente, será duro para ela", comentou o atual 17.º do 'ranking' mundial, a disputar neste momento o torneio de Pequim.

O gaulês foi suspenso por apenas dois meses e meio depois de ter alegado junto da Federação Internacional de Ténis (ITF) que a cocaína que acusou num controlo antidoping deveu-se a um beijo numa discoteca a uma mulher que tinha ingerido a substância.

Na terça-feira, o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) reduziu para 15 meses a suspensão aplicada a Sharapova, por ter acusado meldonium num controlo realizado no último Open da Austrália, primeiro 'Grand Slam' da temporada.

Inicialmente, foi aplicada à russa uma suspensão de dois anos, mas o TAS acabou por reduzir a pena para 15 meses, o que permitirá a Sharapova regressar à competição em abril de 2017.

A 07 de março, Sharapova tinha anunciado, em Los Angeles, Estados Unidos, que tinha acusado meldonium, substância de um medicamento que costumava utilizar há algum tempo, admitindo desconhecimento que tinha passado a ser proibido em janeiro.

A tenista defendeu então que tomava 'meldonium' há dez anos, devido a problemas cardíacos e deficiência de magnésio e que desconhecia que o produto tinha passado a constar, a 01 de janeiro, da lista de substâncias proibidas.

Lusa

  • As zonas de guerra que o fogo deixou
    3:13

    País

    A chuva finalmente ajudou na luta contra as chamas e o que fica agora é um cenário de devastação no norte e centro do país. Morreram 37 pessoas, arderam centenas de casas e empresas e há críticas severas à falta de meios.

  • CDS avança com moção de censura ao Governo

    País

    A líder do CDS anunciou hoje que o partido vai apresentar uma moção de censura ao Governo, na sequência dos incêndios que fizeram 37 mortos desde domingo, quatro meses depois da tragédia de Pedrógão Grande.

    Em atualização

  • O mapa das vítimas dos incêndios
    1:19

    País

    Aumentou para 37 o número de mortes na sequência dos fogos que assolaram a zona Centro do país desde o fim de semana. Feridos são pelo menos 71. Atualizamos aqui o mapa, segundo o último balanço da Proteção Civil.

  • Visto do céu, Portugal é um país que se vestiu de negro
    3:28
  • Homem morreu ao tentar salvar animais das chamas
    2:30
  • "Estou a ficar sem água, vai ser um trabalho inglório"
    1:06