sicnot

Perfil

Desporto

ITF critica Sharapova e diz que não a tentou suspender por quatro anos

A Federação Internacional de Ténis (ITF) teceu esta quinta-feira críticas à russa Maria Sharapova em relação à sua conduta no caso de doping por meldonium e referiu que nunca tentou punir a tenista por quatro anos.

"A ITF nunca tentou suspender Sharapova por quatro anos, como foi sugerido. A ITF deixou claro que era responsabilidade de um tribunal independente - e consequentemente do painel do tribunal arbitral (TAS) - determinar qual a sanção adequada", refere o organismo em comunicado.

Na terça-feira, o TAS reduziu de dois anos para 15 meses a suspensão à tenista russa, que tinha sido punida por dois anos em junho, face a um controlo positivo para 'meldonium' no Open da Austrália, em janeiro.

A Federação Internacional diz ainda no seu comunicado que o TAS confirmou que Sharapova violou as regras antidopagem e aplicou a pena de 15 meses.

"Incluía saber se Sharapova cumpria os critérios do programa de ténis antidopagem - os mesmos do código da Agência Mundial antidopagem (AMA) - para uma redução dos quatro anos, por defeito, pelo uso de uma substância como o 'meldonium'", refere ainda o comunicado.

A Federação Internacional é igualmente muito crítica para com a tenista, que terá referido que o tribunal independente da ITF, que a puniu antes do recurso para o TAS, não era um organismo imparcial.

"A ITF providencia uma audiência de primeira instância de altíssima qualidade, não só independente da ITF, mas que dá a ambas as partes a oportunidade plena de apresentarem todas as provas. O tribunal conta com um advogado como presidente e especialistas médicos e das ciências como membros", adianta.

Ainda segundo a Federação, Sharapova terá dito que o tribunal não era neutro, mas que à tenista foi dada a oportunidade de objetar qualquer dos membros, antes da audiência, e que a mesma assinou um documento dizendo que não havia quaisquer objeções.

O organismo diz que a russa sugeriu que a ITF deveria ter dado informação aos atletas que a substância passava a ser proibida em janeiro, e que a Federação tinha conhecimento da proibição antes de 2016, o que esta refuta.

"Não é verdade. De facto, foi aceite por Sharapova na audiência perante o TAS que a ITF não sabia antes de 2016 até que ponto o meldonium era usado por atletas de qualquer região ou se Sharapova o usava", frisou a ITF.

O organismo lembrou que programa de monitorização da própria Agência Mundial antidopagem (AMA) é conduzido anonimamente.

Sharapova, que viu na terça-feira o TAS reduzir a sua suspensão de dois anos para 15 meses, reconheceu tomar meldonium há vários anos para combater uma deficiência de magnésio e um histórico familiar de diabetes.

Lusa

  • Atentados na Catalunha estão relacionados

    Ataque em Barcelona

    Uma pessoa morreu e cinco suspeitos foram abatidos num segundo ataque esta madrugada em Espanha, depois do atentado de ontem que fez 13 mortos em Barcelona. As operações de busca centram-se num nome: Moussa Oukabir. Siga aqui as últimas informações, ao minuto.

    Em atualização

  • Driss Oukabir: suspeito do atentado ou vítima de roubo de identidade?
    2:40

    Ataque em Barcelona

    Um dos dois suspeitos, do ataque nas Ramblas, detidos pela polícia foi inicialmente identificado como Driss Oukabir, um homem de 28 anos. Mais tarde, um homem com o mesmo nome apresentou-se numa esquadra em Girona, a mais de 100 quilómetros do local do atropelamento afirmando que lhe tinha sido roubada a identificação. De acordo com alguma imprensa espanhola, poderá ter sido o irmão, Moussa Oukabir, um jovem de 18 anos que vive em Barcelona, como explicou também Nuno Rogeiro, comentador da SIC.

  • "Nas Ramblas, é como se nada tivesse acontecido"
    1:35

    Ataque em Barcelona

    Um atentado terrorista em Barcelona matou 13 pessoas e feriu cerca de 100. O ataque aconteceu na zona das Ramblas, quando uma carrinha avançou sobre quem circulava nessa grande via no centro da capital da Catalunha. O repórter Emanuel Nunes está em Barcelona e deu conta do regresso à normalidade nas Ramblas, logo às primeiras horas da manhã.

  • Barcelona abalada pelo terrorismo
    1:03
  • "O abandono provoca incêndios desta dimensão"
    0:55

    País

    O antigo vereador da Câmara de Mação José Silva acredita que a desertificação do interior também é, em parte, responsável pelos incêndios. Segundo José Silva, Mação tem cada vez menos habitantes e é por essa razão que os terrenos são deixados ao abandono.

  • Mação perdeu 80% da área florestal
    3:39
  • Médicos e ministro da Saúde voltam hoje às negociações

    País

    O Ministério da Saúde deverá apresentar uma proposta que poderá ser decisiva para a convocação ou não de uma nova greve. O Sindicato Independente dos Médicos e a Federação Nacional de Médicos tinham anunciado, no dia 11 de agosto, que vão realizar uma greve de dois dias na primeira semana de outubro, se a nova proposta negocial não levar em conta o que reivindicam.