sicnot

Perfil

Desporto

Kelly Slater elogia surf nos Olímpicos mas não garante presença

Mark J. Terrill

O surfista norte-americano mais titulado de sempre, Kelly Slater, disse esta quinta-feira ser um "excitante desenvolvimento" o anúncio da inclusão do surf nos Jogos Olímpicos Tóquio2020.

"Julgo que a ideia de considerar o surf como um dos melhores desportos masculinos é algo muito especial para o crescimento deste desporto", elogiou, em declarações à AFP.

Apesar da aprovação à passagem do surf a modalidade olímpica, Slater admitiu que, mesmo assim, nunca teve "um forte sentimento contra ou a favor" desta decisão.

"Nós temos um tour mundial que determina o melhor surfista perante todo o tipo de condições. É preciso esperar para ver como é a consagração de um campeão olímpico num único ambiente", afirmou Slater, à margem duma competição referente à Liga Mundial de Surf, em Hossegor, no sudoeste de França.

Porém, a estreia deste desporto como modalidade olímpica coincidirá com o 48º aniversário de Kelly Slater. Por esse motivo, será improvável que o campeão mundial por 11 vezes participe nos Jogos Tóquio2020.

"Não tenho a certeza por agora, ainda faltam alguns anos. Nessa altura, haverá muitos jovens surfistas a disputar as duas vagas dos Estados Unidos nos Jogos Olímpicos", acrescentou.

Lusa

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15