sicnot

Perfil

Desporto

Rui Jorge atribui empate com Hungria a "erros defensivos"

O selecionador de futebol de sub-21, Rui Jorge, admitiu esta quinta-feira o empate 3-3 com a Hungria traduz os "erros defensivos" cometidos pela equipa, que na qualificação para o Europeu tinha sofrido apenas um golo em oito jogos.

"Tivemos momentos no jogo em que praticamos bom futebol e criámos boas oportunidades para fazer mais golos. O normal na nossa equipa é marcar bastantes golos. O que não foi normal foi os erros que cometemos em termos defensivos", disse o técnico, em declarações divulgadas pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

Rui Jorge lembrou, a propósito, que Portugal sofreu apenas um golo nos últimos oito jogos e nenhum nos últimos sete jogos.

"A verdade é que hoje não fomos suficientemente fortes e acabámos por sofrer três golos, o que é uma enormidade", acrescentou, admitindo que o resultado do jogo de hoje "não é bom".

"Estávamos à frente do marcador com dois golos de vantagem, nunca deveríamos ter empatado este jogo, não tivemos a qualidade ou a inteligência suficiente para estar a ganhar por 2-0 e ser uma equipa mais segura. Acabámos por sofrer dois golos que não deveríamos ter sofrido e que não costumamos sofrer. E isso depois penalizou-nos", sustentou.

O selecionador nacional de sub-21 adiantou que na próxima partida "mais jogadores irão atuar" e serão introduzidas "algumas alterações".

A seleção portuguesa de futebol de sub-21, já apurada para o Europeu de 2017, empatou hoje 3-3 na Hungria, no seu penúltimo jogo no grupo 4 da fase de qualificação, disputado em Gyor.

Diogo Jota (10 minutos), João Carvalho (13) e Daniel Podence (49) marcaram para Portugal, enquanto Dominik Nagy, de grande penalidade (28), Daniel Prosser (62) e Norbert Balogh (78) fizeram os golos da seleção húngara.

Portugal, que garantiu o apuramento na jornada anterior, lidera o Grupo 4, com 23 pontos, após nove jogos, contra 18 de Israel, segunda classificada.

A fase final do Europeu de 2017 realiza-se na Polónia, de 16 a 30 de junho.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.