sicnot

Perfil

Desporto

Rui Jorge atribui empate com Hungria a "erros defensivos"

O selecionador de futebol de sub-21, Rui Jorge, admitiu esta quinta-feira o empate 3-3 com a Hungria traduz os "erros defensivos" cometidos pela equipa, que na qualificação para o Europeu tinha sofrido apenas um golo em oito jogos.

"Tivemos momentos no jogo em que praticamos bom futebol e criámos boas oportunidades para fazer mais golos. O normal na nossa equipa é marcar bastantes golos. O que não foi normal foi os erros que cometemos em termos defensivos", disse o técnico, em declarações divulgadas pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

Rui Jorge lembrou, a propósito, que Portugal sofreu apenas um golo nos últimos oito jogos e nenhum nos últimos sete jogos.

"A verdade é que hoje não fomos suficientemente fortes e acabámos por sofrer três golos, o que é uma enormidade", acrescentou, admitindo que o resultado do jogo de hoje "não é bom".

"Estávamos à frente do marcador com dois golos de vantagem, nunca deveríamos ter empatado este jogo, não tivemos a qualidade ou a inteligência suficiente para estar a ganhar por 2-0 e ser uma equipa mais segura. Acabámos por sofrer dois golos que não deveríamos ter sofrido e que não costumamos sofrer. E isso depois penalizou-nos", sustentou.

O selecionador nacional de sub-21 adiantou que na próxima partida "mais jogadores irão atuar" e serão introduzidas "algumas alterações".

A seleção portuguesa de futebol de sub-21, já apurada para o Europeu de 2017, empatou hoje 3-3 na Hungria, no seu penúltimo jogo no grupo 4 da fase de qualificação, disputado em Gyor.

Diogo Jota (10 minutos), João Carvalho (13) e Daniel Podence (49) marcaram para Portugal, enquanto Dominik Nagy, de grande penalidade (28), Daniel Prosser (62) e Norbert Balogh (78) fizeram os golos da seleção húngara.

Portugal, que garantiu o apuramento na jornada anterior, lidera o Grupo 4, com 23 pontos, após nove jogos, contra 18 de Israel, segunda classificada.

A fase final do Europeu de 2017 realiza-se na Polónia, de 16 a 30 de junho.

Lusa

  • Reclusos que fugiram de Caxias tiveram cúmplices
    1:59

    País

    Uma falha de Portugal poderá explicar a libertação de um dos dois chilenos que fugiram de Caxias e foram apanhados em Espanha. As autoridades portuguesas atrasaram-se a enviar o mandado de detenção e a polícia espanhola libertou o fugitivo. Na investigação da fuga, acredita-se que os 3 reclusos tiveram cúmplices e a namorada de um deles já foi interrogada.

  • Jovem indiano acorda a caminho do próprio funeral

    Mundo

    Um jovem indiano chocou os seus parente e amigos, depois de acordar no caminho para o seu próprio funeral. No mês antes, Kumar Marewad foi levado para o hospital após ser mordido por um cão de rua, ficando em estado grave.

  • Bilhete de desculpas valeu uma bolsa de estudo

    Mundo

    Um jovem chinês ganhou uma bolsa de estudos no valor de 10 mil yuan (cerca de 1.380 euros), depois de danificar acidentalmente um carro de luxo. Isto, porque após os estragos, o jovem deixou um bilhete de desculpas ao dono, assim como todo o dinheiro que tinha com ele, como compensação.