sicnot

Perfil

Desporto

Tatyana Lysenko perde ouro conquistado em Londres 2012 por doping

A russa Tatyana Lysenko, campeã olímpica do lançamento de martelo nos Jogos Londres 2012, perdeu a medalha de ouro depois de uma reanálise ter confirmado o uso de substâncias dopantes durante o evento, anunciou esta terça-feira o Comité Olímpico Internacional (COI).

A Comissão de Disciplina do organismo, composto neste caso por Denis Oswald (presidente), Juan António Samaranch e Ugur Erdener, concluiu que Lysenko violou as normativas antidopagens dos JO há quatro anos e avançou para a sua desqualificação, que entra em vigor de forma imediata.

A atleta russa, cuja análise acusou a presença de um esteroide anabolisante, terá que devolver "imediatamente" a medalha de ouro, o diploma olímpico e o pin obtido como vencedora do lançamento do martelo.

O COI também exige que o Comité Olímpico Russo garanta o "cumprimento total" da decisão.

Lusa

  • A fuga dos PIDES
    1:16

    Perdidos e Achados

    Ao final do dia 29 de Junho de 1975, 89 agentes da PIDE fugiam da cadeia de Vale de Judeus, em Alcoentre. Mais de 40 anos depois, Perdidos e Achados recupera um dos acontecimentos do Verão Quente em Portugal. Hoje no Jornal da Noite e conteúdos exclusivos no site.

    Hoje no Jornal da Noite

  • Uma volta a Portugal. De bicicleta mas sem licra

    País

    Um grupo de professores propõe-se a repetir o percurso da 1.ª Volta a Portugal em Bicicleta, 90 anos depois. Não se trata de uma corrida, pelo contrário querem provar que qualquer um o pode fazer e promover o uso da bicicleta como meio de transporte pessoal. “Dar a volta” parte para a estrada esta quarta-feira, de Lisboa a Setúbal, tal como em 26 de abril de 1927.

    Ricardo Rosa

  • Casa Madonna di Fatima em Roma é um lar de idosos com 9 irmãs portuguesas
    4:29

    Mundo

    A mais antiga igreja dedicada à Senhora de Fátima em Roma tem mais de 50 anos. Foi construída pelas franciscanas hospitaleiras do Imaculado Coração, uma congregação fundada em Portugal. Hoje, as religiosas portuguesas gerem um lar na mesma rua, mas o templo foi entregue a uma congregação italiana.