sicnot

Perfil

Desporto

Pugilista Tyson Fury suspenso pela Comissão de Controlo de Boxe Britânica

© Reuters

O campeão mundial de pesos pesados Tyson Fury foi suspenso pela Comissão de Controlo de Boxe Britânica (BBBofC), após ter admitido na quarta-feira que consumia drogas ilegais, anunciou hoje aquele órgão.

A decisão foi tomada após o pugilista britânico ter admitido que consumiu cocaína para lidar com uma depressão.

Na quarta-feira, Tyson Fury anunciou que desistiu de defender os títulos de campeão do mundo de pesos pesados "com efeito imediato" para se concentrar no seu "tratamento médico e recuperação".

Na semana passada, o pugilista britânico, atual detentor dos títulos mundias do Conselho Mundial de Boxe (WBO), e da Associação Mundial de Boxe (WBA), admitiu que consumiu "muita cocaína" ao longo da vida.

Fury, de 28 anos, nunca sofreu qualquer derrota e tinha um combate agendado para 29 de outubro, no qual iria defender os títulos frente ao cazaque Wladimir Klitschko, antigo campeão, mas que já tinha sido cancelado pelo britânico por não estar em condições médicas para competir.

No final de setembro, a comunicação social norte-americana noticiou que Tyson Fury acusou cocaína num controlo realizado no dia 22 daquele mês e que iria perder os títulos WBA e WBO devido a consumo de uma substância proíbida.

Lusa

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15