sicnot

Perfil

Desporto

FIFA autoriza organização do Mundial 2026 por vários países

© Ruben Sprich / Reuters

A FIFA revelou esta sexta-feira que a organização do Mundial de futebol de 2026 poderá ser feita por múltiplas nações e que o Comité de Competições do organismo pode rejeitar as candidaturas incumpridoras dos requisitos exigidos.

O conselho-geral da FIFA, que estipulou essas duas decisões, não determinou, porém, um número específico de países organizadores da principal prova mundial de seleções.

Uma eventual ampliação da competição em 2026 - para 40 ou 48 participantes - será apenas discutida na próxima reunião do conselho, que decorrerá entre 9 e 10 de janeiro do próximo ano.

A FIFA estipulou que as associações europeias e asiáticas organizadoras das últimas edições do campeonato do mundo não poderão concorrer à organização do torneio em 2026.

O organismo, contudo, ressalvou que poderá eleger uma associação da UEFA, caso não haja nenhuma candidatura totalmente cumpridora das várias exigências.

"Teremos a possibilidade de abrir um processo de candidatura para os interessados desta confederação se nenhum dos projetos recebidos cumprir estritamente os requisitos técnicos e financeiros", disse a FIFA em comunicado.

Na reunião desta sexta-feira, ficaram também aprovadas as regras do Mundial2018, na Rússia, o calendário internacional feminino para a época 2018/19 e as datas da cerimónia de entrega dos prémios da FIFA, a 9 de janeiro, e do 67.º congresso do organismo, no Bahrein, a 11 de maio.

O conselho-geral da FIFA - agora composto por nove comités ao invés dos anteriores 26 - confirmou que haverá três reuniões por ano, concretamente em janeiro, maio e novembro.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras