sicnot

Perfil

Desporto

Frederico Morais satisfeito com vitória "incrível"

LUSA

O português Frederico Morais manifestou hoje satisfação com a vitória "incrível" na primeira ronda da etapa de Peniche do circuito mundial de surf, frente ao brasileiro Gabriel Medina, campeão do mundo em 2014 e segundo do 'ranking'.

"Foi incrível, sabia que ia ser dificílimo. O mar está difícil, ao longo do dia não temos visto muito boas pontuações, sabia que ia ser renhido, tentei gerir da melhor forma e resultou", afirmou 'Kikas', após assegurar a qualificação para a terceira eliminatória do Meo Rip Curl Portugal.

O cascalense vai estar pela terceira vez nesta fase da competição, depois de em 2013 ter eliminado o norte-americano Kelly Slater, 11 vezes campeão do mundo, na repescagem, e de no ano passado ter chegado aos quartos de final.

"Acho que todos os surfistas aqui são dificílimos, acho que a minha vantagem é não ter nada a perder. Todos têm algo a perder, seja um título mundial, um 'top 10' ou a qualificação. Eu estou aqui como convidado, a aproveitar este momento, por isso, não sei quem vou enfrentar na terceira ronda e posso relaxar um bocadinho para voltar a dar tudo", frisou.

Reconhecendo estar "mais perto" de concretizar o "sonho gigante" de integrar o circuito mundial, o português recusou apontar um adversário preferido, recorrendo à experiência familiar.

"Todos os que estão aqui são grandes surfistas, gostava de encontrar todos, será sempre um grande desafio. O meu tio [Tomaz Morais] e o meu pai sempre me disseram para respeitar os mais fortes e desconfiar dos mais fracos, acho que é o que tenho de fazer aqui em Peniche", contou.

Com a vitória no quinto 'heat', 'Kikas' relegou Medina para a repescagem, mas ainda não teve oportunidade de falar com o brasileiro.

"Não me disse nada, mas eu não estou cá para estragar a vida a ninguém, fiz o meu surf e passei. Não venho para eliminar ninguém, nem com ninguém na mira, venho para passar 'heats' e fazer o que sei fazer melhor, que é surfar", sublinhou.

No quinto 'heat' do Meo Rip Curl Pro Portugal, que hoje começou na praia de Supertubos, 'Kikas' conquistou 11,37 pontos (5,57 e 5,80), contra 9,76 (4,73 e 5,03) de Medina e 8,03 (3,90 e 4,13) de Coffin.

Além de Frederico Morais, estão também já qualificados para a terceira ronda estão o australiano Kai Otton, vencedor em Peniche em 2013, e norte-americano Kolohe Andino e o brasileiro Miguel Pupo.

O período de espera do Meo Rip Curl Pro Portugal iniciou hoje e termina a 29 de outubro.

  • Estamos quase na hora de verão

    País

    Esta madrugada muda a hora. Quando for 1h00, os relógios adiantam para as 2h00. Será uma noite com menos tempo de sono, mas os dias vão ficar mais longos com o chamado horário de verão.

  • Hora do Planeta, apagam-se as luzes para despertar consciências
    2:19
  • Divorciados vão poder dividir filhos no IRS 

    Economia

    Os divorciados vão passar a poder dividir os filhos no IRS (imposto sobre o rendimento singular) e o Governo está a estudar soluções para que em 2018 haja um novo sistema para lidar com a guarda conjunta de filhos.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Ataques aéreos dos EUA em Mossul podem ter causado a morte de 200 civis
    1:22
  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.

  • Quando o cancro chega por mero acaso
    1:55

    Mundo

    Cerca de dois terços das mutações que ocorrem nas células cancerígenas devem-se ao acaso, segundo um estudo da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos. Em Portugal, o Diretor do Programa Nacional Doenças Oncológicas alerta para a importância de um diagnóstico precoce e um estilo de vida saudável como forma de reduzir a fatalidade.