sicnot

Perfil

Desporto

José Antonio Camacho sucede a Jorge Costa como selecionador do Gabão

(Arquivo)

© Mohamad Dabbouss / Reuters

O ex-selecionador espanhol e ex-treinador do Benfica, José Antonio Camacho, foi oficialmente nomeado selecionador do Gabão, país que irá organizar a Taça das Nações Africanas (CAN) de futebol, anunciou esta quinta-feira a presidência do país em comunicado.

"O novo selecionador das 'panteras do Gabão' foi apresentado ao Chefe de Estado. Na conversa, o presidente assegurou a José Antonio Camacho que terá plenos poderes e garantiu-lhe total liberdade no exercício do cargo", pode ler-se no comunicado divulgado pelo gabinete da presidência gabonesa.

O antigo lateral do Real Madrid, de 61 anos, assinou um contrato válido por duas épocas, sucedendo no cargo ao treinador português Jorge Costa, e dispõe de pouco mais de um mês para preparar a seleção gabonesa para a Taça das Nações Africanas (CAN2017), que se disputa entre 14 de janeiro e 05 de fevereiro.

Recebido pelo presidente gabonês Ali Bongo Ondimba, o espanhol terá a missão de reequilibrar um grupo de jogadores liderados pelo avançado do Borússia Dortmund, Pierre-Emerick Aubameyang.

O Gabão jogará a partida de abertura da CAN contra a Guiné-Bissau em Libreville, a 14 de janeiro, num grupo que incorpora também as seleções do Burkina Faso e dos Camarões.

Camacho deverá ainda assegurar a qualificação do Gabão para o Mundial2018, a disputar na Rússia, num grupo da zona africana em que já somou dois empates contra Marrocos e o Mali e que inclui também a seleção da Costa do Marfim.

"O Chefe de Estado prometeu tudo fazer para que a CAN2017 seja um sucesso, quer no plano desportivo quer organizacional", acrescentou o gabinete da presidência no comunicado.

O presidente Bongo, adepto do Real Madrid, antigo clube de Camacho, quer aproveitar o evento para recuperar a imagem do país, afetada com a violência pós-eleitoral que marcou a sua reeleição para o cargo em setembro último, contestada pelo seu opositor politico Jean Ping, que denunciou a existência de fraude nas eleições.

Camacho deverá auferir de um salário anual de 800 mil euros, a partilhar com os seus assistentes, segundo refere a imprensa do Gabão, que se mostrou surpreendida pela contratação de um treinador que não exerce desde 2013 e que não fala francês.

Lusa

  • Assalto à base militar de Tancos
    0:42

    País

    Várias granadas e munições foram roubadas dos paióis da base militar de Tancos. A Polícia Judiciária Militar já está a investigar.

  • Detido antigo diretor regional do BES na Madeira

    Queda do BES

    Foi detido o antigo diretor do Banco Espírito Santo da Madeira, no âmbito do chamado processo ao Universo GES. João Alexandre Silva tinha sido também o representante do BES na Venezuela, onde a instituição portuguesa abriu várias agências em diversas cidades e tinha cerca de 7600 clientes domiciliados.

    Notícia SIC

  • Couves, arroz integral e bróculos biológicos com pesticidas sintéticos
    2:29
  • ASAE apreende leite com água oxigenada para fabrico de queijo

    Economia

    A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) apreendeu leite com água oxigenada, destinado ao fabrico de queijo. As investigações decorreram nos últimos dois meses e foram dirigidas a vários produtores de leite. As investigações iniciaram-se com a deteção de uma viatura para transporte do leite sem qualquer sistema de refrigeração.

  • Crise na Venezuela faz aumentar casos de desnutrição infantil
    2:13
  • Mulher mata namorado em brincadeira com arma no Youtube

    Mundo

    Uma mulher do Minnesota, nos EUA, está a ser acusada de disparar mortalmente sobre o namorado quando ambos faziam um vídeo para publicar no Youtube. Monaliza Perez, de 20 anos, foi detida depois de disparar sobre Pedro Ruiz, que segurava um livro junto ao seu peito, confiante que seria o suficiente para parar a bala.

  • Comissão Europeia adota plano contra resistência a antibióticos

    Mundo

    A Comissão Europeia adotou, hoje, um plano para combater a resistência aos antibióticos, uma ameaça que mata anualmente 25 mil pessoas na União Europeia (UE) e custa 1,5 mil milhões de euros. Em paralelo ao plano, apresenta ainda regras para um "uso prudente de antibióticos".