sicnot

Perfil

Desporto

Presidente do Milan defende que atraso do avião causou "sério prejuízo desportivo" ao clube

(Arquivo)

© Aly Song / Reuters

O presidente do AC Milan considerou esta terça-feira que a equipa foi vítima de um "sério prejuízo desportivo", devido ao atraso do avião que deveria levar os milaneses para Doha, para a final da Supertaça de Itália de futebol.

Um problema técnico reteve em Londres o avião, que deveria ter voado hoje para Doha, o que deixou os 'rossoneri' em terra, em Milão.

"Fomos vítimas de um sério prejuízo desportivo. A Juventus [adversária na final] já está a relaxar ao sol e amanhã [quarta-feira] treinará com temperaturas 20º graus superiores às de Milanello [o campo de treinos do AC Milan]", frisou Adriano Galliani.

O presidente da equipa sublinhou que os milaneses só aterrarão em Doha na quarta-feira à noite, pelo que terão apenas um dia para se prepararem para a final.

O AC Milan, que perdeu com a Juventus na final da Taça de Itália da época passada, vai enfrentar os campeões de Itália na sexta-feira, na capital do Qatar.

Lusa

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.