sicnot

Perfil

Desporto

Surfista Hugo Vau diz que o Nazaré Challenge é reconhecimento de trabalho solitário

MIGUEL A. LOPES

O surfista português Hugo Vau manifestou esta terça-feira a sua satisfação pela região da Nazaré receber, pela primeira vez, o torneio de ondas gigantes do circuito mundial, frisando que é o culminar de um trabalho solitário.

"Tivemos muito anos de trabalho: Eu, o Garrett Mcnamara e o Andrew Cotton. Foi, muitas vezes, um trabalho solitário e passámos anos aqui sozinhos na praia do Norte. Foi um culminar de um ciclo e o reconhecimento a nível mundial por parte da WSL (liga mundial de surf). Este é o sítio com as melhores ondas do mundo", começou por dizer.

À margem do etapa portuguesa, o surfista luso mostrou-se igualmente contente com a sua primeira aparição numa prova oficial, salientando que o mais importante é desfrutar do mar e dignificar Portugal.

"Foi o primeiro campeonato de surf da minha vida. Portanto, é dar o máximo, surfar com paixão, com o coração e dignificar todos os que me apoiam, incluindo o meu país", enalteceu.

A terminar, Hugo Vau salientou que "o mar é o que une os surfistas e é a relação mais forte que pode haver", admitindo ainda que neste tipo de provas os atletas "podem oferecer as ondas uns aos outros".

Lusa

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.