sicnot

Perfil

Desporto

Gignac teve perda de memória e saiu de ambulância na final da Liga mexicana

Christian Palma

O futebolista internacional francês André-Pierre Gignac teve que sair de ambulância depois de um choque no jogo da primeira mão da final do campeonato mexicano de futebol, na madrugada desta sexta-feira.

Gignac, que sofreu uma pancada na zona do pescoço, "está em dúvida" para o segundo jogo da final entre o Club América e a sua equipa, o Tigres de Monterrey, que se disputa no domingo, após o empate a 1-1 no primeiro encontro.

Na sua conta Twitter, o Tigres de Monterrey manifesta a dúvida quanto à possibilidade de Gignac jogar.

O avançado francês, de 31 anos, foi assistido ainda no relvado e teve, de acordo com os médicos do clube, uma curta perda de agooumemória, na sequência do choque com o defesa Bruno Valdez, aos 74 minutos, já depois de ter inaugurado o marcador, aos 44.

"Foi um choque normal, infelizmente magoou-se", comentou Valdez, salientando que da sua parte não houve agressividade, nem intenção de magoar o internacional francês.

Lusa

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.

  • "É um momento histórico para a independência energética"
    1:13

    Mundo

    Esta sexta-feira Donald Trump cumpriu mais uma promessa de campanha. O presidente norte-americano ordenou a construção do oleoduto Keystone, um projeto polémico rejeitado por Barack Obama e contestado pelos ambientalistas e pelos índios Sioux.  

  • Quando o cancro chega por mero acaso
    1:55

    Mundo

    Cerca de dois terços das mutações que ocorrem nas células cancerígenas devem-se ao acaso, segundo um estudo da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos. Em Portugal, o Diretor do Programa Nacional Doenças Oncológicas alerta para a importância de um diagnóstico precoce e um estilo de vida saudável como forma de reduzir a fatalidade.