sicnot

Perfil

Desporto

Gignac teve perda de memória e saiu de ambulância na final da Liga mexicana

Christian Palma

O futebolista internacional francês André-Pierre Gignac teve que sair de ambulância depois de um choque no jogo da primeira mão da final do campeonato mexicano de futebol, na madrugada desta sexta-feira.

Gignac, que sofreu uma pancada na zona do pescoço, "está em dúvida" para o segundo jogo da final entre o Club América e a sua equipa, o Tigres de Monterrey, que se disputa no domingo, após o empate a 1-1 no primeiro encontro.

Na sua conta Twitter, o Tigres de Monterrey manifesta a dúvida quanto à possibilidade de Gignac jogar.

O avançado francês, de 31 anos, foi assistido ainda no relvado e teve, de acordo com os médicos do clube, uma curta perda de agooumemória, na sequência do choque com o defesa Bruno Valdez, aos 74 minutos, já depois de ter inaugurado o marcador, aos 44.

"Foi um choque normal, infelizmente magoou-se", comentou Valdez, salientando que da sua parte não houve agressividade, nem intenção de magoar o internacional francês.

Lusa

  • Ministro "mais descansado" com relatório sobre Almaraz, ambientalistas contestam
    2:01

    País

    O ministro do Ambiente diz estar mais descansado depois de conhecer o relatório técnico que considera o armazém de resíduos nucleares em Almaraz uma solução adequada. Já as associações ambientalistas e os partidos criticam o parecer positivo à construção e querem ouvir os ministros do Ambiente e dos Negócios Estrangeiros no Parlamento.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52
  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, faz este sábado, 100 dias. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.