sicnot

Perfil

Desporto

Rússia atribui admissão de sistema de doping a declarações retiradas do contexto

© Sergei Karpukhin / Reuters

A Rússia atribuiu esta quarta-feira a declarações "retiradas do contexto" a admissão por parte da diretora-geral da agência antidopagem, Anna Antseliovich, de um sistema generalizado de doping no país, em entrevista ao diário norte-americano New York Times.

Antseliovich admitiu pela primeira vez a existência de um sistema de doping em "larga escala" na Rússia, falando de uma "conspiração institucional", mas negando a tese de que a rede de dopagem entre os atletas de elite tenha sido patrocinada pelo Estado.

A Agência Russa Antidopagem (Rusada) lamentou que as declarações de Antseliovich tenham sido "retiradas do contexto e deformadas" e a própria diretora-geral do organismo disse esperar ter-se tratado apenas de um mal-entendido, mas o jornal reafirmou a veracidade da versão que publicou.

"Desde o início deste processo, sempre negámos qualquer implicação do Estado russo, de organismos ou serviços governamentais", reafirmou Dmitri Peskov, porta-voz de Vladimir Putin.

Um recente relatório do jurista canadiano Richard McLaren, solicitado pela Agência Mundial Antidopagem (AMA), denunciou um programa institucionalizado de dopagem na Rússia, que implicou cerca de 1.000 atletas em práticas ilegais nos Jogos Olímpicos de verão Londres2010 e de inverno Sochi2014.

Em consequência da primeira parte do relatório, divulgado em julho, a Rússia foi impedida de competir nas provas de atletismo dos Jogos Rio20016 e também toda a equipa paralímpica russa foi excluída pelo Comité Paralímpico Internacional (CPI) da competição realizada no Rio de Janeiro.

Ao New York Times, Anna Antseliovich mostrou-se "chocada" com as conclusões do relatório e insistiu que "não houve qualquer envolvimento das autoridades russas".

Vitaly Smirnov, antigo ministro do desporto e ex-presidente do Comité Olímpico da Rússia, escolhido agora pelo presidente da Rússia, Vladimir Putin, para supervisionar uma política de reformas no desporto do país, admitiu que "foram cometidos vários erros", mas também negou qualquer patrocínio das autoridades governamentais.

Para Smirnov, a Rússia teve um tratamento de 'tolerância zero', ao contrário de outros países.

"A Rússia nunca teve as oportunidades dadas a outros países. O sentimento geral é de que a Rússia nem sequer teve uma oportunidade [de se defender]", referiu Smirnov ao New York Times.

Lusa

  • IPSS no Seixal alvo de processo e auditoria financeira
    1:47

    País

    A Segurança Social está fazer mais uma inspeção total a uma IPSS, agora na Associação Unitária de Reformados, Pensionistas e Idosos do Seixal. A fiscalização já recolheu documentação e está agora a passar a pente fino as contas, os serviços e todos os procedimentos da Instituição.

    Investigação SIC - Hoje no Jornal da Noite

    SIC

  • "Vai custar muito a voltarmos à realidade"
    2:22
  • Ministro alemão elogia Centeno que está otimista com o futuro da Zona Euro
    1:13

    Economia

    Mário Centeno diz que a Zona Euro tem um futuro positivo pela frente e acredita que o grupo dos países do euro está alinhado num projeto comum. Declarações do novo presidente do Eurogrupo no final de um encontro com o ministro das Finanças alemão, em Berlim. Peter Altmaier deu Portugal como exemplo de sucesso e reconheceu que foi um erro dividir a Europa entre Norte e Sul durante os anos da crise.

  • Trump mentalmente apto para ser Presidente dos EUA

    Mundo

    O Presidente dos Estados Unidos foi na semana passada sujeito aos exames médicos anuais obrigatórios. O médico oficial da Casa Branca informou esta terça-feira que Donald Trump está de "excelente" saúde, não apenas física, mas também mental. As dúvidas sobre as capacidades cognitivas de Trump ganharam força após as revelações feitas no livro "Fire and Fury: Inside the Trump White House".

    SIC

  • Quando o frio até as pestanas congela

    Mundo

    Os termómetros desceram até aos - 67º Celsius em Yakutia, 5.300 quilómetros a Este de Moscovo, na Rússia. Nesta região, os estudantes estão habituados a manter as rotinas, mesmo quando as valores chegam aos - 40º Celsius, mas esta terça-feira as autoridades encerraram escolas e aconselharam a população a ficar em casa, longe do frio que até as pestanas congela.

    SIC