sicnot

Perfil

Desporto

Ivanovic abandonou porque foi derrotada pelas lesões e quer "divorciar-se" do ténis

© Jacky Naegelen / Reuters

A sérvia Ana Ivanovic, que chegou a liderar o ranking mundial de ténis, admitiu que deixou a competição por se sentir física e psicologicamente incapaz, após uma sucessão de lesões, numa entrevista ao The Times, publicada este sábado.

Ivanovic, de 29 anos, anunciou na quarta-feira que abandonava o ténis por não conseguir manter-se no topo da sua forma pelas últimas lesões, deixando a modalidade depois de conquistar 15 títulos, um deles do Grand Slam, o torneio francês de Roland Garros de 2008.

"Nos últimos anos lutei sucessivamente contra as lesões. Era sempre uma batalha quando regressava, dentro e fora dos courts. Nem sempre me sentia na melhor forma", explicou Ivanovic ao jornal britânico.

Para a sérvia, o Masters feminino deste ano, em Singapura, "foi o último teste".

"Sentia, no corpo e no coração, que não devia forçar mais. Nunca é fácil deixar para trás o que amas. Preferia manter esse amor que continuar e acabar por desprezá-lo porque me magoava", disse a sérvia.

Ivanovic, que também foi finalista em Roland Garros de 2007 e Open da Austrália de 2008 e venceu dois Msters, ainda não consegue fazer uma avaliação da sua carreira.

"É difícil dizer se me superei ou fiquei abaixo das expetativas. Mesmo que olhe para trás e pense que poderia ter feito um pouco mais, tudo acontece por uma razão", admitiu.

Sobre o futuro, disse que tem apenas uma certeza, que não vai continuar ligada ao ténis, nem como treinadora.

"Agora, é altura de tentar coisas diferentes", concluiu.

Lusa

  • AR começa hoje a votar OE e mais de 600 alterações dos partidos

    Orçamento do Estado 2018

    Entre os temas que deverão marcar os próximos dias de debate e das votações relativas à proposta orçamental de 2018, cuja votação final global será na segunda-feira, estão as medidas relacionadas com os incêndios, as alterações ao regime simplificado de IRS, as carreiras na função pública (e em especial a dos professores) e as cativações de despesa.

  • "Estamos vivos"
    11:41
  • Notas e moedas têm os dias contados?
    6:27