sicnot

Perfil

Desporto

Representante da República para a Madeira felicita Cristiano Ronaldo

© Ruben Sprich / Reuters

O representante da República para a Região Autónoma da Madeira, juiz-conselheiro Ireneu Barreto, felicitou esta segunda-feira Cristiano Ronaldo pela conquista do troféu conferida pela FIFA.

"Como representante da República e madeirense desejo felicitar Cristiano Ronaldo por ser considerado o melhor jogador do mundo", diz um comunicado distribuído pelo seu gabinete.

Para Ireneu Barreto, "este troféu vem culminar, mais uma vez, uma carreira extraordinária, construída com dedicação, resiliência e talento, características que afirmam o capitão da seleção nacional como uma referência para os mais novos e motivo de regozijo para os portugueses em geral e para os madeirenses em particular".

O internacional português Cristiano Ronaldo foi hoje eleito o melhor futebolista do mundo em 2016, na Gala FIFA, que se realiza em Zurique, na Suíça.

Cristiano Ronaldo, que já venceu a Bola de Ouro da revista France Football, conquistou o seu quarto troféu de melhor jogador do mundo, num ano em que venceu a Liga dos Campeões e o Mundial de clubes pelo Real Madrid, e o Europeu pela seleção portuguesa.

O argentino Lionel Messi (FC Barcelona), que já tem cinco prémios, e o francês Antoine Griezmann (Atlético de Madrid), que se estreia no "top-3", foram os adversários do português.

Os votos para o prémio FIFA foram efetuados por representantes de órgãos de comunicação social, selecionadores nacionais, capitães das seleções e adeptos. Os quatro têm um peso igual no resultado final (25% cada).

Lusa

  • Fogo em Sabrosa entrou em fase de resolução

    País

    O incêndio que deflagrou terça-feira em Vilela do Douro, Sabrosa, distrito de Vila Real, entrou a meio da manhã de hoje em fase de resolução, segundo a Autoridade Nacional de Proteção Civil.

  • Porto Editora acusada de discriminação
    2:55
  • "Burlão do amor" acusado de tirar 450 mil euros a amante
    2:21

    País

    Um homem com cerca de 50 anos é acusado de tirar 450 mil euros a uma mulher com quem começou por ter uma relação profissional. Ele pedia, ela emprestava. Anos depois, ela ficou insolvente, com dívidas à banca de 214 mil euros e sem emprego. O homem é arguido, nega a relação amorosa entre ambos, mas admite ter recebido dinheiro dela. Garante, no entanto, que tenciona pagar o que deve.