sicnot

Perfil

Desporto

Liga espanhola critica Mundial alargado e diz que Infantino "comporta-se como Blatter"

Javier Tebas, presidente da liga espanhola de futebol.

© Albert Gea / Reuters

O presidente da liga espanhola de futebol, Javier Tebas, criticou a proposta da FIFA em ampliar para 48 seleções a fase final do Mundial, aprovada hoje pelo Conselho do organismo, em entrevista ao diário francês L'Equipe.

Para Tebas, o presidente da FIFA, Gianni Infantino, "comporta-se como [Joseph] Blatter", seu antecessor, que se demitiu em 2015 após o escândalo de corrupção que abalou o organismo.

"Infantino comporta-se como Blatter, que tomava as decisões sozinho, sem se preocupar com ninguém", avaliou Tebas, acrescentando que os clubes estão "muito incomodados".

O presidente da 'LaLiga' acusa a FIFA de ter avançado com a proposta de ampliação "por razões políticas", sem ter consultado o futebol profissional, considerando que esta atitude "não é aceitável".

Para o responsável espanhol, "a indústria do futebol mantem-se graças aos clubes e às ligas e não graças à FIFA", acrescentando que "é fácil 'engordar' esta competição [o Mundial] sem pagar aos protagonistas".

"Gianni Infantino faz política. Para ser eleito, prometeu mais países no Mundial. Quer cumprir essas promessas, mas as promessas que fez ao futebol profissional não as cumpre", disse ainda Javier Tebas.

O Conselho da FIFA, órgão que substituiu o Comité Executivo, aprovou hoje, por unanimidade, o alargamento da fase final Mundial de futebol, a partir de 2026, de 32 para 48 seleções, distribuídas por 16 grupos de três equipas.

Nesta segunda reunião do novo Conselho da FIFA estavam em cima da mesa três propostas: manter o formato de 32 seleções e alargar para 40 ou 48 seleções a partir da edição de 2028.

Lusa

  • "O PSD não é o bombeiro de serviço desta geringonça"
    1:09

    TSU

    O líder da bancada social-democrata avisa os partidos da esquerda para que tenham o caso da TSU como exemplo e não voltem a usar o PSD como muleta em situações em que não estejam de acordo com o Governo, como pode vir a acontecer com as PPP no setor da saúde. Luís Montenegro foi entrevistado esta manhã na SIC Notícias.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.