sicnot

Perfil

Desporto

Zidane atribui a atitude positiva à sua "boa estrela"

© Kacper Pempel / Reuters

O treinador do Real Madrid, Zinedine Zidane, que na segunda-feira foi eleito pela FIFA o segundo melhor treinador do mundo em 2016, atribuiu esta terça-feira a sua atitude positiva ao facto de saber que sempre teve "uma boa estrela".

"A minha boa estrela esteve sempre presente na minha cabeça, mesmo quando as coisas não correm bem, estou consciente dessa presença. Por isso, sou sempre positivo, ainda que normalmente tenha um ar sério", disse Zidane, em declarações publicadas esta terça-feira na revista France Football.

Zidane, que devido às conquistas da Liga dos Campeões, Supertaça Europeia e Mundial de clubes com o Real Madrid, foi considerado pela France Football como o melhor treinador francês em 2016, explicou como comanda uma equipa cheia de estrelas mundiais.

"O que eu quero é mostrar que todos são importantes. Os jogadores têm bons desempenhos, porque estão comprometidos e complementam-se muito bem como equipa", defendeu o francês.

Para Zizou, um dos segredos é saber como funciona uma equipa devido ao seu passado como jogador de topo e treinador adjunto e ter as ideias claras sobre o que quer da sua equipa.

"Tem que se ganhar todos os jogos, um após o outro", disse o treinador, para quem "o trabalho sem talento não chega".

A revista lembra ainda que o técnico, que venceu o Mundial1998 com a França, só perdeu dois dos 55 jogos que dirigiu com o Real Madrid, desde que assumiu o cargo a 4 de janeiro do último ano.

Lusa

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15