sicnot

Perfil

Desporto

Nadia Petrova abandona o ténis profissional devido a lesão crónica numa anca

© USA Today Sports / Reuters

A russa Nadia Petrova, que chegou a ser terceira do "ranking" mundial e que estava afastada dos "courts" desde março de 2014, anunciou esta quinta-feira que abandona definitivamente o ténis.

Profissional desde setembro de 1999, Petrova, que conquistou 14 troféus em singulares e 24 em pares, decidiu 'arrumar as raquetas' devido a uma lesão crónica numa anca.

"Decidi virar uma página, depois de uma longa carreira, com altos e baixos", escreveu Petrova numa carta publicada pela Associação das Tenistas Profissionais (WTA).

Para além dos problemas físicos, a carreira de Petrova ficou também marcada pela morte da mãe, em 2013.

"Quando perdi a minha mãe, fiquei emocionalmente em baixo. Mesmo nos momentos em que consegui jogar, a lesão na anca condicionou-me durante parte significativa do ano (de 2013). Preferi dar um tempo para recuperar física e emocionalmente", explicou Petrova.

Em janeiro de 2014, a russa voltou à competição, mas a experiência durou poucos meses, por se sentir "inútil".

"Foi doloroso, porque me sentia inútil. A jogadora que cheguei a ser não estava ali", lamentou.

Agora, Petrova quer dedicar-se a ações de beneficência, prometendo nunca ficar longe dos "courts": "O meu coração estará sempre lá".

Lusa

  • Cabras sapadores na prevenção de incêndios florestais
    2:42

    País

    Há vários regimentos de cabras sapadoras pelo país que, este ano, vão ajudar na prevenção de incêndios florestais. Este é o caso de um regimento em Amieira do Tejo, no concelho de Nisa. Tem pouco mais de 200 cabras que vão destruindo o mato, diariamente, em zonas demarcadas pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas e, a maioria, perto de estradas. Por cada hectar intervencionado, o produtor recebe, no primeiro ano, 120 euros. Pelo país devem existir cerca de 50 iniciativas do género.

  • Congresso do PS começa hoje na Batalha

    País

    O 22.º Congresso do PS começa hoje, na Batalha, distrito de Leiria, e durante o qual o secretário-geral, António Costa, deverá defender uma linha de continuidade estratégica, procurando, em simultâneo, projetar desafios estruturais que se colocam ao país.