sicnot

Perfil

Desporto

Madeira Rodrigues diz que vai despedir Jesus caso seja eleito no Sporting

Pedro Madeira Rodrigues

MANUEL DE ALMEIDA

Pedro Madeira Rodrigues, candidato a presidente do Sporting, revelou esta sexta-feira que, caso seja eleito, Jorge Jesus deixará de ser treinador do clube devido a ter integrado a comissão de honra da candidatura de Bruno de Carvalho.

"Ele (Jorge Jesus) escolheu um lado e isso tem consequências. A consequência imediata é que ele não será o meu treinador quando eu tomar posse a 04 de março", afirmou Madeira Rodrigues, numa conferência de imprensa que se realizou na sua sede de candidatura, em Lisboa.

O presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, anunciou hoje que Jesus vai integrar a Comissão de Honra da sua recandidatura a novo mandato.

"Tenho o privilégio e o orgulho de poder contar na minha Comissão de Honra com o treinador Jorge Jesus", escreveu Bruno de Carvalho na sua página no Facebook.

Além de descartar Jesus, Madeira Rodrigues adiantou que irá apresentar uma solução para treinador do Sporting até 04 de março, dia em que se realizam as eleições para os órgãos sociais do clube lisboeta.

Bruno de Carvalho, presidente do clube desde 2013, e Pedro Madeira Rodrigues são, até ao momento, os candidatos anunciados à liderança do emblema "leonino".

Há quase quatro anos, Bruno de Carvalho venceu as eleições com 53,36% dos votos, impondo-se a José Couceiro, que obteve 45,35% e a Carlos Severino, que conseguiu 1,02%.

Lusa

  • Mais de 1600 ações de fiscalizações a IPSS em dois anos
    1:05

    Expresso da Meia Noite

    Nos últimos dois anos, o Estado efetuou mais de 1600 ações de fiscalização a Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) das quais resultaram mais de 70 destituições e 80 participações ao Ministério Público (MP). Os números foram avançados pela secretária de Estado da Segurança Social, Cláudia Joaquim, no programa Expresso da Meia-noite, na SIC Notícias.

  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • Pedrógão Grande, seis meses depois - documentário Expresso
    0:29
  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23
  • Ilhas Selvagens são um tesouro no Atlântico que é preciso preservar
    2:33