sicnot

Perfil

Desporto

Vice-primeiro-ministro russo diz que sexo pode distorcer testes de doping

© Sergei Karpukhin / Reuters

O vice-primeiro-ministro da Rússia e ex-ministro do Desporto, Vitaly Mutko, figura central do escândalo de doping no país, defendeu na quinta-feira que as relações sexuais dos atletas podem causar distorções nos resultados dos testes antidoping.

Vitaly Mutko, que foi promovido de ministro de Desporto a vice-primeiro-ministro, apesar da controvérsia em torno do escândalo de doping generalizado na Rússia, disse que o "ADN masculino" persiste em atletas por dias depois de terem relações sexuais.


Em declarações ao sítio Desporto-Express, na quinta-feira à noite, Vitaly Mutko disse que os russos são injustamente punidos e defendeu as mulheres atletas que falharam os testes.


"Um atleta pode beijar alguém que tenha tomado uma droga. Um atleta estrangeiro é reintegrado com base nisto, enquanto um russo é injustamente punido", acrescentou o governante russo.


Vitaly Mutko disse ainda que se uma atleta tiver relações sexuais cinco dias antes de fazer o teste antidoping, este poderá revelar resíduos de ADN masculino e distorcer o resultado.


Estas declarações surgem após a publicação em dezembro de 2016 do relatório do advogado canadiano Richard McLaren, que refere que o governo russo organizou um programa de doping durante os Jogos Olímpicos de Inverno de 2014, em Sochi.


Entre outras irregularidades detetadas, o relatório refere que duas jogadoras de hóquei no gelo apresentaram amostras com ADN masculino.
Mutko contraria ainda o relatório de Richard McLaren dizendo que ele não prova doping patrocinado pelo estado, uma vez que se baseia apenas em declarações de um homem, referindo-se ao ex-diretor do laboratório de doping de Moscovo, Grigory Rodchenkov.


A imagem da Rússia no desporto mundial foi severamente manchada pelo escândalo que viu a equipa de atletismo do país e toda a equipa paralímpica excluída dos Jogos do Rio2016.


Moscovo tem negado insistentemente qualquer esquema do governo para enganar na luta pelas medalhas. A Rússia permanece proibida de participar em provas internacionais de atletismo e a Agência Mundial Antidoping diz que o país tem ainda um longo caminho pela frente.


Lusa

  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43
  • À redescoberta da Madeira, 16 anos depois
    1:59
  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.

  • Samsung vai vender modelos reparados do Galaxy Note 7

    Economia

    A Samsung Electronics anunciou hoje que vai vender e alugar telemóveis reparados do modelo Galaxy Note 7 depois de no ano passado a empresa ter decidido suspender a respetiva produção devido a incêndios nas baterrias de íon-lítio.

  • Acidentes em falésias matam 94 pescadores lúdicos

    País

    Mais de 90 pescadores lúdicos morreram nos últimos 19 anos e 137 ficaram feridos em 252 acidentes registados em zona rochosa ou em falésia, a maioria na zona de Lagos, Faro, segundo dados da Autoridade Marítima Nacional.