sicnot

Perfil

Desporto

A celebração efusiva de Venus Williams no Open da Austrália

A tenista norte-americana Venus Williams garantiu, na última madrugada, uma vaga na final do Open da Austrália, onde vai defrontar a irmã Serena. Um triunfo que foi celebrado de forma efusiva pela nº13 do ranking mundial, com direito a coreografia e tudo.

Na primeira meia-final do torneio feminino de singulares, Venus derrotou a compatriota CoCo Vandeweghe em três 'sets' (6-7, 6-2 e 6-3) e regressou a uma final de torneio do Grand Slam pela primeira vez desde 2009.

Na primeira celebração, a tenista parecia não conseguir encontrar forma de expressar a felicidade que sentia:

Já depois de cumprimentar a adversária, a mais velha das irmãs Williams deu um pézinho de dança no court da Rod Laver Arena, em Melbourne:

As imagens falam por si:

© Thomas Peter / Reuters

© Jason Reed / Reuters

© Jason Reed / Reuters

© Jason Reed / Reuters

© Edgar Su / Reuters

© Issei Kato / Reuters

A conquista de Venus tem ainda maior significado se tivermos em conta que a tenista norte-americana foi diagnosticada, há seis anos, com o síndrome de Sjogren, uma doença auto-imune que afetou a sua capacidade para treinar.

Na conferência de imprensa, Venus Williams deixou bem claro o desejo sobre qual a adversária que preferia encontrar na final do primeiro torneio Grand Slam da temporada: "Daria tudo para ver a minha irmã do outro lado da rede no sábado", uma vontade que se veio a concretizar horas mais tarde, quando Serena, nº2 do mundo, derrotou a croata Mirjana Lucic-Baroni em dois 'sets' (6-2 e 6-3).

© Jason Reed / Reuters

© Jason Reed / Reuters

© Jason Reed / Reuters

Para Serena Williams, "não importa o que venha a acontecer no sábado". A ex-líder do ranking mundial considera que ambas já são vencedoras.

Com esta vitória, Venus tornou-se a tenista mais velha a alcançar a final do Open da Austrália.

As irmãs Williams vão defrontar-se no encontro decisivo de um torneio Grand Slam pela nona vez, com o histórico a ser favorável a Serena, com sete vitórias, contra as duas de Venus:

Um duelo familiar que vai decidir a vencedora do primeiro torneio do Grand Slam da temporada. A grande final está agendada para este sábado, às 19h30 (08h30 em Lisboa).

  • O encontro emocionado de Marcelo com a mãe de uma das vítimas dos fogos
    0:30
  • Proteção Civil garante que já não há desaparecidos
    1:40
  • "Depois de sair da autoestrada o vidro do carro ainda estava a ferver"
    2:01
  • "O fogo chegou de repente. Foi um demónio"
    2:15
  • O desabafo de um empresário que perdeu "uma vida inteira de trabalho" no fogo
    2:08
  • O testemunho emocionado de quem perdeu quase tudo
    2:10
  • As comunicações entre operacionais no combate às chamas em Viseu
    2:27
  • Houve "erros defensivos que normalmente a equipa não comete"
    0:38

    Desporto

    No final do jogo, quando questionado sobre a ausência de Casillas no onze do FC Porto, Sérgio Conceição referiu que a equipa apresentada era aquela que lhe oferecia garantias. Quanto ao jogo, o treinador portista reconheceu que a equipa cometeu vários erros defensivos.

  • "Cometemos erros e há que tentar corrigi-los"
    0:41

    Desporto

    No final do jogo em Leipzig, Iván Marcano desvalorizou a ausência de Iker Casillas e entendeu que o facto de o guarda-redes ter ficado no banco não teve impacto na equipa. Já sobre o jogo, o central espanhol garantiu que não correu da forma como os jogadores esperavam.

  • Norte-americana foi à discoteca e tornou-se princesa

    Mundo

    A história de Ariana Austin é quase como um conto de fadas moderno. A jovem vai até ao baile, onde conhece o seu príncipe. Só que a norte-americana foi a uma discoteca e, na altura, não sabia que Joel Makonnen era na verdade um príncipe da Etiópia e que casaria com ele 12 anos depois, tornando-se também ela numa princesa.