sicnot

Perfil

Desporto

Filipe Lima e Melo Gouveia falham "cut" do Masters do Qatar

© Rafael Marchante / Reuters

Os portugueses Filipe Lima e Ricardo Melo Gouveia ficaram esta sexta-feira afastados das duas voltas decisivas do Masters do Qatar, prova do circuito europeu de golfe.

Filipe Lima, que esta época regressou ao principal ciruito europeu de golfe, concluiu a volta desta sexta-feira com 71 pancadas (uma abaixo do par), mas a prestação menos conseguida de quinta-feira, 75 pancadas, acabou por impedi-lo de passar o "cut", fixado nos 142 "shots".

Na volta desta sexta-feira, Lima, que terminou no grupo dos 97.os classificados, entregou um cartão com quatro 'birdies' (uma pancada abaixo do par) e três "bogeys" (uma abaixo).

Ricardo Melo Gouveia, que na quinta-feira terminou a primeira volta com 71 pancadas, marcou hoje 76 (quatro acima do par), o que lhe conferiu um agregado de 147 "shots", mais cinco do que o último jogador a passar o "cut".

Esta sexta-feira, Ricardo Melo Gouveia, que há uma semana terminou na 22.ª posição o Abu Dhabi Championship, marcou três "bogeys", um "duplo bogey" (duas acima) e apenas um "birdie", terminando no grupo dos classificados no lugar 107.

Lusa

  • Confirmados dois novos casos de legionella

    Legionella

    Dois novos casos de legionella foram esta quarta-feira confirmados. A informação foi avançada em comunicado pela Direção-Geral da Saúde. Tratam-se de duas pessoas com mais de 80 anos, internadas no Hospital São Francisco Xavier e no Egas Moniz, ambas em situação clínica estável.

  • Quem é o novo Presidente do Zimbabué?
    2:15

    Mundo

    Emmerson Mnangagwa é o sucessor de Robert Mugabe que regressou esta quarta-feira da África do Sul, onde estava refugiado. No primeiro discurso, o Presidente do Zimbabué falou de uma nova democracia no país. Mnangagwa, conhecido como crocodilo, é suspeito de atrocidades na guerra civil pós-independência. 

  • Diminuem as hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino
    3:09

    Mundo

    As hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino, desaparecido há 8 dias, começaram a diminuir, uma vez que o chamado "tempo de segurança" já foi ultrapassado. A Marinha portuguesa está a acompanhar o caso do submarino que está desaparecido há oito dias. As hipóteses de salvar os tripulantes vão diminuindo.

  • Comprar um carro em segunda mão sem ser enganado 
    8:44
  • O que aprendemos com secas anteriores?
    32:50