sicnot

Perfil

Desporto

Rafael Assis assina por quatro épocas e meia com o SC Braga

ESTELA SILVA

O médio brasileiro Rafael Assis, ex-Desportivo de Chaves, assinou esta quinta-feira pelo Sporting de Braga, terceiro classificado da I Liga de futebol e finalista da Taça da Liga, por quatro épocas e meia, informou o clube bracarense.

O jogador, que foi também alvo da cobiça do FC Porto, disse ter escolhido o Sporting de Braga "porque é um grande clube, que tem um grande projeto" e porque os seus responsáveis "fizeram muita força" para o contratar.

"Confiaram no meu trabalho, espero poder retribuir dentro de campo, dar o meu melhor para alcançarmos os nossos objetivos. Senti-me desejado, sem dúvida, e ao entrar aqui e perceber o tamanho deste clube não pude dizer que não. O que quero é dar tudo de mim e poder ajudar", afirmou ao sítio dos "arsenalistas".

O ex-jogador do Desportivo de Chaves, de 26 anos, vai encontrar o treinador Jorge Simão, que se transferiu dos transmontanos para Braga em dezembro último, assim como Paulinho e Battaglia, que começaram a temporada nos flavienses (o último como emprestado dos minhotos).

Assis definiu-se como um jogador o qual "não dá bolas por perdidas" e que "deixa tudo em campo".

"Nem pensei duas vezes. A minha vontade era estar aqui, a disputar títulos", reforçou o jogador, que veio para Portugal em 2014/15 para representar o Beira-Mar.

O médio defensivo revelou que, no início da carreira, sentiu dificuldades por causa da sua estatura (1,70 metros), porque, "no Brasil, preferem jogadores mais altos" e considera que "o estilo de jogo europeu" o favorece.

"É mais disciplinado e não coloca problemas quanto à minha estatura, porque, mesmo quando se chega pelo ar, a bola tem que descer. O futebol europeu exige mais força, o que eu tenho trabalhado, e menos altura, que é o que preferem no Brasil", concluiu.

Lusa

  • António Costa evita perguntas sobre estágios não remunerados
    1:55
  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14