sicnot

Perfil

Desporto

"Não apaguem a luz". Benfica contra petardos

PEDRO NUNES

O Benfica apelou hoje para que não se leve material pirotécnico e "outro tipo de material perigoso" para o Estádio da Luz, alertando para o risco de multas e eventuais jogos à porta fechada.

"Não apaguem a luz" é o título do comunicado, dirigido aos "sócios, adeptos e simpatizantes", com o clube a lembrar que esta época já pagou mais de 90 mil euros, "a exemplo do que tem acontecido com a generalidade dos clubes em competição".

Além das multas, há "riscos associados a outras graves sanções disciplinares que estão regularmente previstas e que podem passar pela realização de jogos à porta fechada".

"A segurança é também um bem de todos, e os recentes e graves acontecimentos noutros estádios - seguramente com consequências disciplinares verdadeiramente punitivas e preventivas - levam-nos a reforçar este apelo", reforça o clube, três dias antes da receção ao Nacional, para a Liga portuguesa.

Na terça-feira, foram levantados processsos disciplinares ao Sporting de Braga, devido aos petardos lançados na final da Taça da Liga contra o Moreirense, e ao FC Porto, pelos petardos lançados no jogo do campeonato que disputou em casa do Estoril-Praia, para o campeonato.

Lusa

  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23
  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • Pedrógão Grande, seis meses depois - documentário Expresso
    0:29
  • Ilhas Selvagens são um tesouro no Atlântico que é preciso preservar
    2:33
  • PS volta a subir nas intenções de voto e não baixa dos 40%
    2:01