sicnot

Perfil

Desporto

Suspensão ao atletismo russo irá além dos Mundiais de agosto

A Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF) revelou esta segunda-feira que a Rússia vai continuar impedida de competir internacionalmente por um período que vai contemplar os Mundiais de Londres, de 04 a 13 de agosto.

Segundo a IAAF, o grupo de trabalho independente criado para analisar o doping sistemático - e patrocinado pelo Estado - no atletismo russo considera que a federação do país do Leste europeu "ainda não está preparada" para a sua readmissão.

Rune Andersen, presidente da comissão que acompanha os requisitos para a reintegração da Rússia, reconhece que houve "numerosos avanços positivos", mas no relatório apresentado ao conselho da IAAF defende que a federação ainda "não está preparada" para que a suspensão seja levantada.

Em janeiro o dirigente reuniu-se com o presidente da federação russa, Dimitri Shlyakhtin, o coronel Zherdev, membro do comité de investigação da federação russa, o meio-fundista Andrey Dmitriev e o novo ministro do desporto, Pavel Kolobkov.Apesar da evolução, o grupo de trabalho diz ter detetado "alguns acontecimentos negativos" desde o seu último relatório ao conselho, em dezembro, nomeadamente "comentários pouco uteis realizados recentemente por alguns responsáveis do desporto russo".

"A federação russa continua a sentir dificuldades práticas e legais para fazer cumprir as sanções provisorias de dopagem. Continua a haver análises muito limitadas aos atletas em provas nacionais, bem como incidentes preocupantes quando as provas estão em curso", justificou.

O atletismo russo está suspenso desde novembro de 2015 por doping, pelo que os seus competidores falharam os Jogos Olímpicos Rio2016, sendo que não poderão também apresentar-se nos Europeus de pista de Belgrado em fevereiro, nem aos Mundiais de agosto em Londres.

A IAAF autoriza os atletas russos a competir a título individual caso sejam submetidos a controlos de doping independentes.

Lusa

  • Proteção Civil garante que já não há desaparecidos
    1:40
  • "Depois de sair da autoestrada o vidro do carro ainda estava a ferver"
    2:01
  • "O fogo chegou de repente. Foi um demónio"
    2:15
  • O desabafo de um empresário que perdeu "uma vida inteira de trabalho" no fogo
    2:08
  • O testemunho emocionado de quem perdeu quase tudo
    2:10
  • As comunicações entre operacionais no combate às chamas em Viseu
    2:27
  • Houve "erros defensivos que normalmente a equipa não comete"
    0:38

    Desporto

    No final do jogo, quando questionado sobre a ausência de Casillas no onze do FC Porto, Sérgio Conceição referiu que a equipa apresentada era aquela que lhe oferecia garantias. Quanto ao jogo, o treinador portista reconheceu que a equipa cometeu vários erros defensivos.

  • "Cometemos erros e há que tentar corrigi-los"
    0:41

    Desporto

    No final do jogo em Leipzig, Iván Marcano desvalorizou a ausência de Iker Casillas e entendeu que o facto de o guarda-redes ter ficado no banco não teve impacto na equipa. Já sobre o jogo, o central espanhol garantiu que não correu da forma como os jogadores esperavam.

  • Norte-americana foi à discoteca e tornou-se princesa

    Mundo

    A história de Ariana Austin é quase como um conto de fadas moderno. A jovem vai até ao baile, onde conhece o seu príncipe. Só que a norte-americana foi a uma discoteca e, na altura, não sabia que Joel Makonnen era na verdade um príncipe da Etiópia e que casaria com ele 12 anos depois, tornando-se também ela numa princesa.