sicnot

Perfil

Desporto

Standard de Liège defende no TAS pretensão a receber 400 mil euros do FC Porto

© Matthew Childs / Reuters

O Standard de Liège defendeu esta terça-feira, perante o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS), a sua pretensão de receber 400 mil euros do FC Porto, respeitantes à indemnização devida pela formação dos irmãos Tony e Celéstin Djim.

Na audiência no TAS, em Lausana, na Suíça, o clube belga, representado pelo diretor jurídico, Pierre Locht, e por Me Vanthyghem, tentou demonstrar que tinha a intenção de manter os irmãos antes da proposta proveniente do FC Porto.

O processo remonta ao verão de 2014, quando os irmãos Tony e Celéstin Djim se transferiram para o FC Porto.

"Entregamos ao TAS as propostas de contrato enviadas pelo correio ao pai dos dois futebolistas, Luciano Djim", disse Pierre Loch após a audiência.Ainda de acordo com Pierre Loch, "o FC Porto argumenta que o pai dos irmãos Djim nega ter recebido essas propostas enviadas pelo correio".

É agora o mais alto tribunal de justiça desportiva que irá decidir se o Standard de Liège manifestou ou não vontade de manter os seus dois jogadores formados na academia. A decisão do TAS deverá ser conhecida dentro de dois meses.

Esta não é a primeira vez que o Standard de Liège interpõe uma ação judicial contra o FC Porto, uma vez que em 2014 o clube belga também recorreu à FIFA para exigir a compensação financeira da formação de Joris Kayembe.

Neste processo, o clube belga foi bem-sucedido, já que a FIFA condenou o FC Porto a pagar uma indemnização de 190 mil euros ao Standard de Liège, respeitantes à formação de Joris Kayembe.

Lusa

  • Morreu o companheiro de Nelson Mandela

    Mundo

    Ahmed Kathrada, activista e ícone sul-africano que lutou ao lado de Mandela contra o "apartheid" morreu hoje aos 87 anos, informou a fundação de caridade Kathrada.

  • Mais de um milhão de crianças em risco de morrer à fome
    1:23
  • Vidas Suspensas: Delfim 353
    29:30
  • Esquerda contra a venda do Novo Banco
    1:51

    Economia

    O futuro do Novo Banco promete agitar a maioria de esquerda nas próximas semanas. O Bloco de Esquerda e o PCP estão contra os planos de privatização e insistem que a solução é nacionalizar o banco. O Bloco de Esquerda defende que privatizar 75% é o pior de dois mundos. Já o PCP diz que o banco deve ser integrado no setor público.

  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32

    País

    Há cada vez mais homens e idosos a pedirem ajuda à Associação Portuguesa de Apoio à Vítima. Segundo o relatório anual da APAV conhecido esta segunda-feira, foram identificadas quase 10 mil vítimas de violência no ano passado. Cerca de 80% são mulheres casadas e com cerca de 50 anos.