sicnot

Perfil

Desporto

Anúncio da retirada de Lahm surpreendeu o próprio Bayern

O anúncio público feito por Philipp Lahm de que se vai retirar do futebol no final da época apanhou de surpresa o Bayern, que esperava que o jogador anunciasse a novidade em conjunto com o clube.

"Até ontem [Notes:terça-feira] assumimos que haveria um anúncio conjunto de Philipp Lahm e do Bayern de Munique sobre esta decisão", disse hoje o presidente do Bayern, Karl-Heinz Rummenigge, através de um comunicado.

O clube de Munique estava a par da intenção do jogador abandonar o futebol no final da época, mas nunca esperou que este anunciasse ao mundo a decisão sem acertar com o Bayern a forma de o fazer.

Lahm, que participou em 501 jogos pelo Bayern e conquistou com a seleção alemã o título mundial em 2014, no Brasil, anunciou na terça-feira que iria abandonar o futebol no final desta época, um ano antes de seu contrato terminar, e que decidira recusar o cargo de diretor desportivo para o qual fora convidado pelo clube bávaro.

"São mais alguns meses, mas não mais", disse Lahm, de 33 anos, a seguir à vitória do Bayern sobre o Wolfsburg, para os oitavos de final da Taça da Alemanha.

O presidente do Bayern revelou que tinha tido várias conversas "abertas e construtivas" com Philipp Lahm sobre o seu envolvimento futuro na gestão do clube, mas que este o informara, bem como a Uli Hoeness, na semana passada, da sua decisão de não aceitar o convite e de se retirar no final da época, não cumprindo o contrato que é válido até junho de 2018.

Lahm venceu a Bundesliga por sete vezes e a Taça da Alemanha por seis, ao serviço do Bayern, bem como a Liga dos Campeões em 2013 e outros títulos, entre os quais o de campeão do mundo pela Alemanha, num total de 21, somando 320 jogos no campeonato, com 12 golos e 45 assistências.

Lusa

  • Hospitais vão ser penalizados se não cumprirem tempos de espera
    2:37

    País

    O Ministério da Saúde vai penalizar os hospitais que não cumprem os tempos de espera nas urgências e que tenham taxas elevadas de cesarianas. O novo modelo de financiamento prevê ainda linhas de financiamento próprio para a obesidade e rastreios do cancro do cólon e do colo do útero.

  • Assédio, até onde vai a tolerância?
    35:26