sicnot

Perfil

Desporto

Clubes europeus gastaram 633 M€ na reabertura do mercado de transferências

Twitter PSG

O valor gasto pelos clubes europeus de futebol na reabertura do mercado de transferências atingiu um recorde de 633 milhões de euros (ME), o que representa um aumento de 48% relativamente à época passada.

Aquele número junta-se o novo máximo alcançado durante o defeso em transferências de futebolistas, no valor de 3,23 mil ME, o que significa que os clubes gastaram nesta temporada em contratações de jogadores perto de 3,9 mil ME, mais 14% em relação à época anterior.

Das cinco grandes ligas europeias, a que movimentou mais dinheiro durante o mês de janeiro foi a inglesa, tendo os clubes que a integram gastado um total de 277 ME, ainda assim, ligeiramente menos do que receberam, que ascendeu a 282 ME.

A liga francesa foi a segunda mais 'gastadora', com um total de 153 ME, cinco vezes mais do que em janeiro do ano passado, com o Paris Saint-Germain à cabeça de todos os clubes europeus, ao efetuar contratações de 70 ME.

As equipas do campeonato alemão contribuíram com 99 ME (aumento de 153% em relação à última época), seguindo-se as do italiano, com 87 ME, e do espanhol, habitual dominador nesta matéria, mas que no mês passado se limitaram a gastar 18 ME.

Lusa

  • Cinco mortos provocados pelo tufão Hato em Macau
    1:13
  • Prestação da casa aumenta pela primeira vez desde 2014
    1:17

    Economia

    Pela primeira vez em três anos, as taxas de juro do crédito à habitação, estão a subir. A subida é de apenas 1 euro, mas é a primeira desde 2014, depois de em maio deste ano ter estabilizado e em junho ter descido. A justificação para este aumento é a evolução das taxas euribor.

  • Porto Editora acusada de discriminação
    2:55
  • "Burlão do amor" acusado de tirar 450 mil euros a amante
    2:21

    País

    Um homem com cerca de 50 anos é acusado de tirar 450 mil euros a uma mulher com quem começou por ter uma relação profissional. Ele pedia, ela emprestava. Anos depois, ela ficou insolvente, com dívidas à banca de 214 mil euros e sem emprego. O homem é arguido, nega a relação amorosa entre ambos, mas admite ter recebido dinheiro dela. Garante, no entanto, que tenciona pagar o que deve.