sicnot

Perfil

Desporto

Ministério Público decide investigar apostas no Feirense-Rio Ave

O Ministério Público decidiu investigar as alegadas apostas ilegais no jogo Placard relativas à partida de futebol entre o Feirense-Rio Ave, disputada na noite de segunda-feira, adiantou esta quarta-feira a Procuradoria-Geral da República (PGR) à Lusa.

"O Ministério Público decidiu instaurar inquérito. O mesmo corre termos no DIAP (Departamento de Investigação e Ação Penal) de Aveiro (Secção de Santa Maria da Feira)", refere a PGR, em resposta escrita enviada esta noite à agência Lusa.

Na terça-feira, a PGR informou que não tinha recebido qualquer queixa ou denúncia referentes a apostas ilegais no jogo Placard, envolvendo a partida Feirense-Rio Ave, mas disse estar a recolher elementos para decidir se existia ou não matéria para a instauração de inquérito, o que acabou por vir agora a acontecer.

A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa suspendeu na segunda-feira as apostas no Placard referentes à partida entre o Feirense-Rio Ave, da I Liga de futebol, que a equipa de Santa Maria da Feira venceu nessa noite por 2-1.

"O Departamento de Jogos (DJSCML) decidiu suspender a aceitação de apostas no evento da Liga NOS, Feirense - Rio Ave, de hoje [segunda-feira] , às 21:00, atendendo ao volume atípico de apostas registado e ao risco financeiro envolvido, cumprindo o disposto no art. 19º, alínea 8, da Portaria que regulamenta o jogo Placard", revelou o DJSCML, em comunicado divulgado na segunda-feira.

Na terça-feira, em resposta enviada à Lusa, o Serviço de Regulação e Inspeção de Jogos (SRIJ) anunciava "estar a averiguar em detalhe" as apostas no Placard relativas à partida de futebol entre o Feirense-Rio Ave.

"O SRIJ está agora a averiguar em detalhe o ocorrido nas apostas efetuadas naquele jogo, tendo inclusive estabelecido contactos com outros reguladores europeus que também alertaram para esta situação", explicou, na ocasião, o regulador nacional.

Este organismo afirmou que agiu assim que tomou conhecimento das suspeitas: "Tendo tomado conhecimento de suspeitas de irregularidades sobre as apostas desportivas sobre o jogo entre o Feirense e o Rio Ave, previamente à realização do jogo, notificou as entidades exploradoras para retirarem esta competição das respetivas listas de eventos sujeitos a aposta", acrescentou o SRIJ.

O regulador salientou ainda que esta decisão "foi igualmente transmitida à Liga Portuguesa de Futebol".

O Serviço de Regulação e Inspeção de Jogos, sob a dependência do Turismo de Portugal e tutelado pelo Ministério da Economia, é o órgão competente de fiscalização da exploração e prática dos jogos de fortuna ou azar concessionados pelo Estado.

O CDS-PP já pediu a audição no parlamento do diretor do Serviço de Regulação e Inspeção de Jogos.

Lusa

  • "Não sabemos se estão em causa máfias"
    7:46

    Opinião

    O advogado Fernando Veiga Gomes, especialista em Direito Comercial e Desportivo, esteve na SIC Notícias para comentar o caso das apostas suspensas no Placard. Fernando Gomes diz que não sabe se estão em causa máfias mas estranhou as declarações dos respresentantes dos clubes em questão. Quanto à legislação e regulamentação em vigor, o advogado diz que funcionaram bem na medida em que após identificarem um ato suspeito suspenderam de imediato as apostas.

  • Associação de Apostas Online fala em possível erro da Santa Casa no Feirense-Rio Ave
    1:09

    Desporto

    A SAD do Feirense demarca-se do polémica em torno da suspensão das apostas do jogo com o Rio Ave. Em comunicado, a SAD da equipa de Santa Maria da Feira lamentou a situação e o que considera ser a "tardia" tomada de posção por parte da Santa Casa da Misericórdia. Esta terça-feira à noite, na SIC Notícias, o presidente da Associação de Apostas Online defende a possibilidade de ter havido um erro no software da gestão de risco da Santa Casa da Misericórdia. Para Paulo Rebelo, o volume de apostas registado para o jogo Feirense-Rio Ave não é um volume anormal nas apostas internacionais.

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • "Reforma da Proteção Civil esgotou prazo de validade"
    2:34

    Tragédia em Pedrógão Grande

    António Costa reconheceu esta quinta-feira que a reforma da Proteção Civil que liderou em 2006 está esgotada, e não pode dar resultados sem uma reforma da floresta. Na mesma altura, o ministro da Agricultura admitiu que os problemas já estavam identificados há uma década, sem explicar por que razão não foram atacados pelo Governo socialista da altura.

  • "De um primeiro-ministro esperam-se respostas, não perguntas"
    0:35

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Assunção Cristas acusa o ministro da Agricultura de ter deitado ao lixo a legislação do anterior Governo que poderia ser útil no combate aos incêndios. O CDS exige uma responsabilização política pela tragédia de Pedrógão Grande, diz que há muito por esclarecer e por esse motivo entregou esta quinta-feira ao primeiro-ministro um conjunto de 25 perguntas.

  • Morreu Miguel Beleza

    País

    Miguel Beleza, economista e antigo ministro das Finanças, morreu esta quinta-feira de paragem cardio-respiratória aos 67 anos.

    Última Hora

  • Revestimento da Torre de Grenfell era tóxico e inflamável
    1:52
  • "Estamos a ficar sem espaço. Está na hora de explorar outros sistemas solares"

    Mundo

    O físico e cientista britânico Stephen Hawking revelou alguns dos seus desejos para um novo plano de expansão espacial. Hawking está em Trondheim, na Noruega, para participar no Starmus Festival que promove a cultura científica. E foi lá que o físico admitiu que a população mundial está a ficar sem espaço na Terra e que "os únicos lugares disponíveis para irmos estão noutros planetas, noutros universos".

    SIC

  • Não posso usar calções... visto saias

    Mundo

    Perante a proibição de usar calções no emprego, um grupo de motoristas franceses adotou uma nova moda para combater o calor. Os trabalhadores decidiram trocar as calças por saias, visto que a peça de roupa é permitida no uniforme da empresa para a qual trabalham.

  • De refugiada a modelo: a história de Mari Malek

    Mundo

    Mari Malek chegou aos Estados Unidos da América quando era ainda uma criança. Chegada do Sudão do Sul, a menina era uma refugiada à procura de um futuro melhor, num país que não era o seu. Agora, anos depois, Mari Malek é modelo, DJ e atriz, e vive em Nova Iorque. Fundou uma organização sediada no país onde nasceu voltada para as crianças que passam por dificuldade, como também ela passou.