sicnot

Perfil

Desporto

Curry pondera ''cortar'' com patrocínio que manifestou apoio a Donald Trump

© USA Today Sports / Reuters

Stephen Curry, uma das maiores estrelas da Liga Norte-americana de Basquetebol (NBA), admitiu na quarta-feira rescindir o contrato de patrocínio com a Under Armor depois de o seu presidente ter elogiado Donald Trump.

Kevin Plank, diretor-executivo da marca de equipamentos desportivos, disse na terça-feira, numa entrevista à CNBC, que o novo presidente dos Estados Unidos era um homem que entendia de negócios e, por isso, "uma mais valia" para o país.

"Passei o dia todo ao telefone com muitas pessoas da Under Armour para tentar entender o que se passava e quais tinham sido realmente as suas palavras", explicou o jogador dos Golden State Warriors ao diário Mercury News.

Para Curry, se a marca não partilha os seus valores, a solução será a rescisão de contrato.

"Se os líderes não têm os mesmos valores que eu, não é o dinheiro que vai fazer o que não sou", disse o atual vice-campeão da NBA.

Durante a campanha presidencial, Curry foi uma das figuras mediáticas que apoiou a candidata democrata Hillary Clinton.


Lusa

  • Mais de 50 detidos pela GNR em 12 horas

    País

    A GNR fez 51 detenções entre as 20:00 de sábado e as 08:00 de hoje, 39 das quais por condução sob efeito do álcool ou sem carta, e três por violência doméstica, segundo um comunicado hoje divulgado.

  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".

  • Monumentos de 7 mil cidades às escuras por 1 hora
    2:51
  • Trump diz que Obamacare vai "colapsar"

    Mundo

    O Presidente norte-americano tentou desvalorizar a derrota política sofrida na sexta-feira no Congresso, ao desistir da revogação da lei de saúde pública do seu antecessor, conhecida como Obamacare, afirmando que esta vai colapsar por si mesma.