sicnot

Perfil

Desporto

Contratação de Coates custou 4,72 milhões de euros ao Sporting

O Sporting divulgou esta sexta-feira os valores das contratações e vendas de jogadores da equipa principal e equipa B de futebol, com o clube a pagar 4,72 milhões de euros pela aquisição do passe do uruguaio Coates.

O defesa central, que estava emprestado pelos ingleses do Sunderland, foi contratado a título definitivo por um total de 4,72 milhões de euros, com uma cláusula de rescisão cifrada em 45 milhões.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o clube leonino detalhou ainda que as entradas dos angolanos Ary Papel e Gelson Dala não teve custos para o clube, que, contudo, ficou com apenas 50 por cento dos passes.

Quanto às saídas, o documento mostra que a saída do brasileiro Elias para o Atlético Mineiro se fez por 2,5 milhões de euros com um milhão mediante o cumprimento de objetivos, sendo que o clube de Alvalade mantém 30% dos direitos económicos do atleta.

O avançado André foi vendido ao Sport Recife por 1,20 milhões de euros, enquanto o Vissel Kobe pagou 430 mil euros pelo avançado japonês Junya Tanaka, embora os leões mantenham 50% dos direitos económicos do jogador e ainda tenham uma cláusula de opção de recompra.

A saída de João Pereira para o Trabzsonspor rendeu 300 mil euros aos cofres dos verdes e brancos, devidos ao clube "por acordo de revogação" do contrato do lateral.

Quanto ao avançado argentino Hernán Barcos, que alinha pelo Liga de Quito, a transferência não teve custos para o clube equatoriano, mas o Sporting mantém 30% dos direitos económicos e uma opção de recompra.

Por fim, a venda de Wallyson Malmann ao Moreirense rendeu 200 mil euros, com o Sporting a manter 40% dos direitos económicos e uma cláusula de recompra do médio defensivo.

Segundo o comunicado, todos os jogadores vendidos pelo clube têm uma cláusula antirrival, com os leões a guardarem direito de preferência.

Lusa

  • Catalunha vs Espanha
    29:35
  • Empate técnico a uma semana das eleições na Catalunha

    Mundo

    A sete dias das eleições regionais catalãs, várias sondagens publicadas hoje indicam que os partidos constitucionalistas estão à frente nas intenções de voto, mas os independentistas ganham em número de lugares, sem nenhum dos blocos ter maioria absoluta.