sicnot

Perfil

Desporto

Manuel Machado quer o Arouca a alcançar as competições europeias

Manuel Machado, novo treinador do Arouca, revelou este domingo a ambição de melhorar o 10.º lugar que o clube tem na classificação da I Liga de futebol e, "se possível", alcançar os lugares europeus.

"O Arouca tem praticamente a manutenão na I Liga assegurada e não está fora dos nossos horizontes repetir o feito da época passada", avançou o novo treinador, em conferência de imprensa, acrescentando que esta é uma realidade "possível", muito embora "não seja fácil" pelo calendário pouco simpático da equipa, com sete jogos fora e seis em casa.

Manuel Machado substitui Lito Vidigal, que se transferiu para o Maccabi de Telavive, de Israel, e deixou-lhe uma "palavra de apreço pelo muito bom trabalho realizado".

"Parece-me uma equipa muito bem organizada. Para o Lito e todo o seu quadro, fica uma palavra de reconhecimento pelo que conseguiram fazer aqui", elogiou.

Manuel Machado assinou contrato até final da época, mas o presidente do clube, Carlos Pinho, pela "admiração que lhe tem", queria mais tempo.

"Por mim, fazia já um contrato de dois ou três anos. Espero que fique cá por muitos anos e que dê continuidade ao trabalho que vai sendo feito em Arouca", desejou o dirigente.

O treinador explicou que a duração do contrato foi escolha sua, mantendo-se em linha com o que tem vindo a fazer na sua carreira.
"Tenho por princípio contratos curtos. Não vivo de trabalho não realizado. Quando chegarmos a maio, sentamo-nos e abordamos o assunto", explicou o técnico, para quem o Arouca tem "condições para qualquer técnico fazer um trabalho positivo".

Manuel Machado já orientou o treino da tarde de hoje, no Estádio Municipal de Arouca, com vista à deslocação a Chaves, no sábado. Nas bancadas, mais de uma centena de adeptos pôde assistir ao treino e aplaudir o novo treinador.

Lusa

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Dijsselbloem não comenta hipótese de ser substituído por Mário Centeno
    2:41

    Mundo

    Jeroen Dijsselbloem diz que cabe ao Governo português avançar com o nome de Mário Centeno para a presidência do Eurogrupo, mas não comenta a sondagem que foi feita ao ministro das Finanças português. Ouvido esta quinta-feira no Parlamento Europeu, o Presidente do Eurogrupo esteve no centro das críticas e reafirmou que não se demite.