sicnot

Perfil

Desporto

Treinador dos San Antonio Spurs pede a Trump que seja "mais inclusivo" com as comunidades

Gregg Popovich, treinador dos San Antonio Spurs, da Liga norte-americana de basquetebol (NBA), pediu esta terça-feira ao Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, para ser "mais inclusivo" com as várias comunidades do país "que menosprezou na campanha".

Antes do jogo de segunda-feira no recinto dos Indiana Pacers, que os Spurs venceram por 110-106, Popovich, que 'guiou' os texanos a cinco títulos na NBA, lamentou que Donald Trump esteja "a agir como se nada tivesse acontecido" durante a campanha.

"Quando assumiu a presidência, não teve o cuidado de serenar os grupos que menosprezou durante a campanha. Ainda não disse nada sobre as mulheres, negros, hispânicos, a comunidade LGBT ou os deficientes. Ele está a comportar-se como se nada tivesse acontecido", afirmou o técnico.

Para Popovich, o novo presidente dos Estados Unidos "comportou-se durante a campanha de forma inaceitável, mesmo nojenta", com atitudes que "mostraram que fez tudo para angariar votos".

"Mesmo as pessoas que votaram nele estão a aperceber-se disso, mas, de alguma forma, sentem que Donald Trump merece ser perdoado. A sua personalidade, as suas palavras e as suas decisões são assustadoras", considerou o treinador.

Mesmo assim, Popovich desejou que Trump "tenha sucesso" na sua presidência e que "faça coisas boas para toda a gente".

Lusa

  • Mais de 1600 ações de fiscalizações a IPSS em dois anos
    1:05

    Expresso da Meia Noite

    Nos últimos dois anos, o Estado efetuou mais de 1600 ações de fiscalização a Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) das quais resultaram mais de 70 destituições e 80 participações ao Ministério Público (MP). Os números foram avançados pela secretária de Estado da Segurança Social, Cláudia Joaquim, no programa Expresso da Meia-noite, na SIC Notícias.

  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • Pedrógão Grande, seis meses depois - documentário Expresso
    0:29
  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23
  • Ilhas Selvagens são um tesouro no Atlântico que é preciso preservar
    2:33