sicnot

Perfil

Desporto

UNITA acusa polícia de contribuir para a tragédia num estádio de futebol em Uíge

Tekassala Toco Facebook

A UNITA, maior partido da oposição angolana, acusou esta quarta-feira a polícia nacional de "ter contribuído" para os incidentes que na sexta-feira provocaram 17 mortos num estádio de futebol na província do Uíge e pediu o apuramento de responsabilidades.

A posição da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA) foi manifestada pelo secretário-geral do partido, Franco Marcolino Nhany, em conferência de imprensa em que foi analisada a situação política atual do país.

"Os relatos indiciam que a polícia terá contribuído, de alguma forma, para o pânico, ao utilizar gás lacrimogéneo para dispersar a multidão impaciente junto dos portões do estádio", referiu o político.

Pelo menos 17 pessoas morreram, na sexta-feira, na cidade do Uíge, norte do país, quando alegadamente forçaram a entrada no estádio municipal 4 de Janeiro para assistirem ao jogo entre o Santa Rita de Cássia, treinado por Sérgio Traguil, e o Recreativo de Libolo, de Vaz Pinto, na ronda inaugural do Girabola.

Os relatos locais apontam para um incidente logo aos sete minutos de jogo, quando centenas de pessoas invadiram um dos portões do mesmo estádio, originando quedas e fazendo com que dezenas de pessoas fossem pisadas entre a confusão.

O incidente terá provocado também mais de 60 feridos.

"Em nome da direção do partido, inclinamo-nos diante das vítimas da tragédia do Uíge, esperando, contudo, que sejam apuradas, o mais rapidamente possível, as devidas responsabilidades e sejam tornadas públicas", observou Franco Marcolino Nhany.

Em comunicado, o Ministério da juventude e Desportos manifestou profunda consternação pelas mortes e solicitou às direções da Federação Angolana de Futebol, a Associação de Futebol local e às autoridades da província do Uíge, que averiguem as causas do acontecimento e tomem as medidas que se impõem.

Lusa

  • Quem deve ser o próximo treinador do FC Porto?

    Desporto

    Nuno Espírito Santo já não é treinador do FC Porto. O técnico e o clube chegaram a acordo mútuo para a rescisão do contrato, que o ligava por mais uma temporada aos dragões. Nuno Pinto da Costa tem agora que encontrar um novo treinador para orientar dos "dragões". Os nomes em cima da mesa são vários. Diga-nos quem deve ser o novo treinador do FC Porto.

  • Os treinadores do FC Porto desde o último título 

    Desporto

    Nunca o FC Porto esteve quatro anos consecutivos sem ganhar um título durante a presidência de Nuno Pinto da Costa. A ausência de vitórias teve início na época de 2013/14, quando começou uma autêntica dança de treinadores.

  • Julgamento do caso BPN deverá terminar quarta-feira
    4:38

    Economia

    O acórdão do processo principal do BPN vai ser tornado público esta quarta-feira, depois de quase sete anos de audições. O rosto principal é o de José Oliveira Costa mas há outros 14 arguidos sentados no banco dos réus.

  • "Michel Temer nunca teve vergonha, não tem cara de pessoa de bem"
    3:04

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou no habitual espaço de comentário do Jornal da Noite  da SIC, o escândalo com o Presidente do Brasil, Michael Temer. O comentador diz que já era previsível que Temer fosse apanhado com "o pé na poça" e afirma que o Presidente brasileiro nunca teve qualquer tipo de vergonha. Miguel Sousa Tavares fez ainda referência ao facto de Dilma Rousseff ser, entre todos os políticos brasileiros, a única que não tem processos contra ela.

    Miguel Sousa Tavares

  • Divulgado vídeo dos bambardeamentos contra o Daesh no Iraque
    0:42
  • Leão-marinho arrasta criança de doca em Vancouver
    0:51

    Mundo

    O momento em que um leão-marinho arrasta uma menina para a água foi gravado e publicado na internet. Sem nada que fizesse prever, o animal puxou a criança que estava sentada numa doca em Vancouver, no Canadá. A criança foi resgatada de imediato por um familiar e apesar do susto não sofreu ferimentos. O momento de aflição foi testemunhado por vários turistas.