sicnot

Perfil

Desporto

FIFA nega existência de relação entre prática de futebol e risco de demência

HOMEM DE GOUVEIA / Lusa

A FIFA assegurou esta quinta-feira que não existe qualquer prova conclusiva de que os futebolistas profissionais sejam uma classe com elevado risco de desenvolver doenças cerebrais que possam causar demência, como foi indicado por um estudo divulgada na quarta-feira."

"Não há qualquer evidência de que a prática do futebol possa causar danos cerebrais", indicou a FIFA em comunicado, acrescentando: "Os resultados dos estudos sobre a relação entre a prática do futebol de alta competição e o funcionamento do cérebro são inconclusivos".

A FIFA acrescenta ainda que, "felizmente, o futebol não pertence aos desportos de alto risco no que diz respeito a lesões cerebrais".

Na quarta-feira, um estudo divulgado na revista Acta Neuropathologica mostrou que os futebolistas profissionais são uma classe com elevado risco de desenvolver doenças cerebrais, que podem causar demência.

O estudo analisou 14 futebolistas aposentados e com sintomas de demência que começaram a jogar futebol na infância ou juventude.

Exames 'post mortem' realizados a seis futebolistas mostraram que quatro deles tinham sinais de Encefalopatia Traumática Crónica (CTE), um distúrbio cerebral também observado em antigos praticantes de futebol americano e pugilistas.

Helen Ling, a diretora do estudo, considerou que "há uma necessidade premente de identificar o risco", acrescentando: "É necessário um estudo em grande escala, com a cooperação da federação inglesa de futebol (FA) e da FIFA".

Lusa

  • Novas imagens dos momentos após Khalid Masood ter embatido no muro do Parlamento britânico
    1:35
  • Parlamento português pede demissão de Dijsselbloem

    País

    A Assembleia da República foi hoje unânime na condenação das polémicas declarações do presidente do Eurogrupo, mas recusou um ponto pela rejeição de diversos compromissos com a União Europeia (UE) exigida pelo PCP.

  • Comissão Europeia quer proibir o tabaco na praia

    País

    A Comissão Europeia quer proibir o tabaco em todos os espaços públicos, incluindo praias, parques infantis e equipamentos desportivos. A proposta foi apresentada pelo comissário da Saúde e Segurança Alimentar que, além de querer reduzir a dependência do tabaco, também sugere que todos os estados membros apliquem uma idade mínima para a venda de tabaco.

  • Como se resolve a falta de espaço numa cidade chinesa?
    1:07