sicnot

Perfil

Desporto

Incidentes com adeptos na chegada do Paris Saint-Germain a França

© Eddie Keogh / Reuters (ARQUIVO)

A chegada do Paris Saint-Germain a França, horas depois da eliminação nos oitavos de final da Liga dos Campeões de futebol, ficou marcada por alguns incidentes com adeptos, um deles transportado para o hospital.

O clube parisiense foi afastado da 'Champions' pelo FC Barcelona, após uma pesada derrota por 6-1, resultado que 'virou' a vitória dos franceses por 4-0 na primeira mão, em Paris.


Na chegada a Paris, a equipa foi vaiada por cerca de 30 adeptos. Um dos adeptos teve de ser transportado para o hospital de Saint-Denis, depois de ter sido atingido pelo carro conduzido por Thiago Motta.


Em Camp Nou, o FC Barcelona tornou-se na primeira equipa de sempre a recuperar de uma desvantagem de 4-0 na primeira mão, graças aos golos de Luis Suárez, logo aos três minutos, de Lionel Messi, de grande penalidade (50), de Neymar (88 e 90+1) e de Sergi Roberto (90+5), aos quais se juntou o autogolo do francês Layvin Kurzawa (40).


Edinson Cavani marcou o 'golo de honra' para os franceses, ao minuto 62.


Com três golos marcados nos últimos sete minutos do jogo da segunda mão, os catalães concretizaram a 'remontada' e 'carimbaram' a passagem aos quartos de final da Liga dos Campeões.

Lusa

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.