sicnot

Perfil

Desporto

Taça das Confederações "era um sonho, mas falta muita pedra para partir"

Taça das Confederações "era um sonho, mas falta muita pedra para partir"

Cristiano Ronaldo já conheceu o troféu da Taça das Confederações. Em declarações à FIFA, o internacional português admitiu o sonho de conquistar este título mundial. Mas "falta ainda muita pedra para partir".

Num dia em que a FIFA deu a conhecer ao avançado luso o troféu da prova, a 100 dias do seu início, Ronaldo mostrou-se consciente das dificuldades em conquistar aquele troféu, mas também revelou o desejo de a seleção portuguesa voltar a conquistar um torneio que nunca ganhou.

"Gostava, era um sonho, mas falta muita 'pedra para partir'", afirmou o capitão português junto ao troféu, o qual não quis pegar. "Nunca toco, nunca toco nos troféus, porque dá azar", acrescentou.

Sobre a competição, Cristiano Ronaldo diz que "o sonho tem de existir sempre", mas que tudo o resto só mesmo para a altura da competição.

"Agora é ver o que é que vai acontecer, ver como é que a equipa vai estar, a sorte também conta, depende de muitos fatores, espero que Portugal possa ter a felicidade e a sorte de poder ganhar um troféu que também nunca ganhou na história e que seria bonito", concluiu.

A Taça das Confederações, que constitui um 'balão de ensaio' para o Mundial de futebol de 2018, a ser disputado na Rússia, realiza-se naquele país entre 17 de junho e 02 de julho, e junta os vários campeões continentais, o país anfitrião e o campeão do mundo.

A seleção portuguesa, campeã europeia em título, ficou integrada no grupo A, juntamente com a anfitriã Rússia, Nova Zelândia (Oceânia) e México (CONCACAF), enquanto o grupo B é composto por Camarões (África), Chile (América do Sul), Austrália (Ásia) e Alemanha (campeã do mundo).

Lusa

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15