sicnot

Perfil

Desporto

UEFA investiga Barcelona por invasão de campo no jogo com o PSG

PSG 4-0 Barcelona

© Benoit Tessier / Reuters

A UEFA instaurou hoje um processo disciplinar ao FC Barcelona pela invasão de campo no final da vitória sobre o Paris Saint-Germain que assegurou a passagem dos espanhóis aos quartos de final da Liga dos Campeões de futebol.


A Comissão de Controlo, Ética e Disciplina da UEFA acusa o FC Barcelona, que se impôs por 6-1 aos franceses do PSG, com três golos nos minutos finais, que garantiram a reviravolta na eliminatória, de incumprimento dos regulamentos, no que refere a evitar que os adeptos invadam o relvado.


Para além do FC Barcelona, também o Nápoles, pelo uso de laser, arremesso de objetos e artigos pirotécnicos na receção ao Real Madrid (1-3), e ao jogo Arsenal-Bayern Munique (1-5), por invasão dos ingleses e arremesso de objetos pelos alemães, estão sob observação por parte da UEFA.


A UEFA confirmou ainda a decisão do Comité de Apelo de recusar o recurso apresentado pelo futebolista russo, naturalizado finlandês, Roman Eremenko, do CSKA Moscovo, punido com dois anos de suspensão por ter acusado positivo num controlo antidoping, realizado após o jogo com o Bayer Leverkusen, em 14 de setembro de 2016, para a Liga dos Campeões.


Lusa

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.