sicnot

Perfil

Desporto

Federação iraniana reitera apoio ao selecionador Carlos Queiroz

© Edgar Su / Reuters

A federação iraniana de futebol reiterou o apoio ao selecionador Carlos Queiroz, após o seu pedido de demissão, disse esta sexta-feira o treinador português.

"Face às dificuldades assumidas pela federação no apoio à seleção nacional, apresentei o pedido de demissão, preservando o profissionalismo da equipa técnica e do grupo de jogadores, e defendendo os interesses da seleção.

A direção da federação acabou por reiterar a nossa continuidade manifestando toda a confiança no nosso trabalho", afirmou Carlos Queiroz.

Após cinco jornadas, o Irão lidera o Grupo A de qualificação asiática para o Mundial2018, com 11 pontos, mais um do que a Coreia do Sul e mais dois do que o Uzbequistão, e vai defrontar os dois últimos classificados do agrupamento, o Qatar, na quinta-feira, e a China, a 28 de março.

"Vamos prosseguir com o máximo empenho e dedicação, dentro daquilo que são as possibilidades e exigências da federação iraniana, que mais uma vez se comprometeu em tentar fazer tudo para ultrapassar as dificuldades existentes", concluiu Carlos Queiroz.

Durante a preparação para os dois jogos oficiais, em Teerão, a seleção iraniana vai defrontar o Iraque, no sábado, num encontro particular, à porta fechada.

Em janeiro último, a direção da federação iraniana decidiu não aceitar o pedido de demissão apresentado pelo português, que já tinha chegado a acordo o presidente federativo para a rescisão sem contrapartidas para as partes.

Antes, Queiroz, que comanda a seleção asiática desde 2011 e tem contrato até ao final do Mundial2018, já tinha apresentado um primeiro pedido de demissão, em fevereiro de 2016, que foi revogado em maio último, após ter recebido o apoio do governo e da federação iraniana.

Nas últimas semanas, Queiroz procedeu à observação de vários jogadores iranianos a atuar no estrangeiro.

Lusa

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.