sicnot

Perfil

Desporto

Joana Ramos conquista bronze nos Europeus de Judo

Arquivo

© Ina Fassbender / Reuters

A judoca portuguesa Joana Ramos conquistou hoje a medalha de bronze nos Europeus de Varsóvia, ao vencer a israelita Gili Cohen, terceira no ranking mundial da categoria de -52 kg, por waza-ari.

Foi a sexta vez que as duas judocas se defrontaram, com o equilíbrio de três vitórias para cada uma, a última das quais hoje, favorável à portuguesa, 20.ª na hierarquia mundial, após alcançar uma sofrida vantagem já no prolongamento do combate.

Nos quatro minutos iniciais, depois de um melhor começo, Joana Ramos apenas conseguiu levar o combate para o 'ponto de ouro', período de decisão após os quatro minutos iniciais e quando se verificava um empate.

Nesse período a judoca chegou a ter dois castigos, mas soube gerir no 'prolongamento', com um acréscimo desgastante de mais 2.40 minutos, até que Joana Ramos, em nova tentativa de ataque, conseguiu o 'waza-ari' que lhe deu o bronze.

A judoca chegava a Varsóvia como candidata a uma subida ao pódio, embora só muito recentemente tenha regressado à competição, com a conquista também da medalha de bronze, no final de março, no Grande Prémio de Tbilisi.

A experiência de Joana Ramos, vice-campeã europeia em 2011, em Istambul, pesava na sua participação nestes Europeus e a atleta teve hoje um percurso imparável até encontrar a campeã olímpica, Majlinda Kelmendi, que viria a sagrar-se campeã europeia, contra quem não foi inferior.

Joana Ramos deu a ideia de equilibrar o combate com Kelmendi, considerada a melhor judoca mundial nos -52 kg e que, além do título olímpico, foi campeã mundial em 2014 e 2013 e europeia nos mesmos anos.

A kosovar teve dois castigos, e Joana Ramos também, levando a que um terceiro castigo significasse o 'fim de linha' para uma delas na tentativa de chegarem à final, o que acabaria por acontecer com a portuguesa.

Antes, a judoca do Sporting venceu a norueguesa Madelene Rubinstein (107.ª) e duas adversárias acima de si na hierarquia mundial, a romena Andreea Chitu (9.ª), campeã europeia em 2015 e 2012 e vice-campeã mundial em 2015 e 2014, e a sua compatriota Alexandra-Larisa Florian (8.ª), todas por 'ippon'.

Para Varsóvia, a selecionadora Ana Hormigo tinha projetado, em declarações à agência Lusa, a conquista de pelo menos uma medalha, meta alcançada neste primeiro dia de competição.

Menos bem esteve Sergiu Oleinic (11.º do mundo), judoca olímpico, tal como Joana Ramos, que foi eliminado ao segundo combate, já na decisão do ponto de ouro, por waza-ari, quando o seu adversário, o turco Sinan Sandal (41.º) tinha dois castigos.
Também Maria Siderot (26.ª) perdeu no prolongamento, com a jovem judoca a ser eliminada ao segundo combate pela sérvia Milica Nikolic, por 'ippon'.

No primeiro dia destes Europeus, que decorrem até domingo, estiveram também em prova Joana Diogo (-48 kg) e João Crisóstomo (-66 kg), eliminados no primeiro duelo, e Leandra Freitas (-52 kg), afastada pela israelita Gili Cohen no segundo combate.

Na sexta-feira competem Jorge Fernandes (-73kg), Luís Carmo (-73kg), Anri Egutidze (-81kg) e João Martinho (-81kg), e no sábado Yahima Ramirez (-78kg), Tiago Rodrigues (-90kg) e Jorge Fonseca (-100kg).

Lusa

  • Passos nega que resultado das autárquicas ponham em causa liderança do PSD
    7:46
  • PS e PSD trocam acusações sobre Tancos
    1:18
  • Homens vítimas de violência doméstica
    31:17
  • Marcelo mergulha na baía de Luanda
    0:45
  • Marcelo garante que relações com Angola "estão vivas"
    1:50

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou esta segunda-feira as boas relações entre Portugal e Angola. À chegada a Luanda para a posse do novo Presidente angolano João Lourenço, o chefe de Estado português aproveitou para tomar um banho de mar.

  • Défice chegou aos 2.034 milhões em agosto
    1:51

    Economia

    O défice do Estado caiu 1.900 milhões de euros até agosto, em comparação com o ano passado. A recuperação da economia ajudou a baixar o défice, com mais receitas e impostos acima do esperado. Já a despesa pública ficou praticamente inalterada e os pagamentos do Estado em atraso subiram.

  • Morreu a egípcia que chegou a pesar 500 quilos

    Mundo

    A egípcia Eman Ahmed Abd El Aty, de 37 anos, que chegou a pesar 500 quilos, morreu num hospital de Abu Dabi, nos Emirados Árabes Unidos, devido a complicações cardíacas na sequência do seu excesso de peso.