sicnot

Perfil

Desporto

Blatter defende regresso de Platini para liderar UEFA ou FIFA

Arnd Wiegmann

O ex-presidente da FIFA, o suíço Joseph Blatter, defendeu esta terça-feira o regresso do francês Michel Platini, antigo presidente da UEFA, suspenso por quatro anos, à liderança do organismo europeu ou mundial de futebol.

"É preciso que Platini regresse. Pode regressar para assumir o comando da UEFA ou da FIFA", sustentou Blatter, também suspenso por conduta antiética, em entrevista à AFP, assinalando que para que isso acontecesse seria necessária a redução da pena imposta ao francês.

Platini, de 61 anos, foi suspenso por oito anos pelo Comité de Ética da FIFA, na sequência do inquérito interno iniciado em junho de 2015, um mês após a polícia suíça ter detido sete altos dirigentes, acionando o maior escândalo de corrupção na história do futebol.

O ex-presidente da UEFA viu a pena ser reduzida para seis anos pelo órgão de recurso do organismo regulador do futebol mundial, tendo posteriormente recorrido para o Tribunal Arbirtra dl Desporto (TAS), que reduziu a suspensão em mais dois anos, para um total de quatro.

"É possível reabrir o processo se forem descobertos factos novos e estamos prestes a saber se existem", afirmou Blatter, de 81 anos, assegurando mesmo dispor de elementos que podem conduzir à revisão das sanções de ambos.

Lusa

  • Famílias das vítimas de Pedrógão criam associação para apurar responsabilidades
    2:13
  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15