sicnot

Perfil

Desporto

Capitão da seleção romena de ténis pode ser probido de entrar no torneio de Wimbledon

Ilie Nastase, capitão da seleção feminina romena da Fed Cup de ténis, não será convidado para o camarote real do torneio de Wimbledon e a sua entrada no All England Club poderá mesmo ser vedada, anunciaram os organizadores.

Nastase está suspenso preventivamente pela Federação Internacional de Ténis (ITF) por "conduta antidesportiva" para com jogadoras da equipa britânica durante um encontro da Fed Cup.

"Achamos que as suas ações não foram corretas, condenamo-las. Posso confirmar que não receberá convite para o camarote real", garantiu Philip Brook, presidente do All England Club.

O camarote real, conhecido como Royal Box, é o espaço no 'court' central onde membros da família real britânica e convidados assistem aos jogos.Brook disse ainda que o diretor do clube, Richard Lewis, está a aguardar o resultado de uma investigação aberta pela ITF para decidir sobre a entrada de Nastase no recinto durante o torneio, que decorre entre 3 e 16 de julho.

Em 22 de abril, Ilie Nastase foi expulso de um jogo da Fed Cup por ter insultado as jogadoras britânicas Johanna Konta e Anne keothavong, bem como o árbitro do encontro.

Horas antes, a ITF tinha anunciado a abertura de um inquérito ao antigo campeão romeno, na sequência de um comentário feito por Nastase sobre a gravidez da tenista norte-americana Serena Williams.

A ITF suspendeu o antigo tenista, que em 1972 venceu o Open dos Estados Unidos e Roland Garros, e abriu um inquérito, anunciando de imediato que "não tolera comentários e comportamentos racistas e discriminatórios".

Lusa

  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23
  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • Pedrógão Grande, seis meses depois - documentário Expresso
    0:29
  • Ilhas Selvagens são um tesouro no Atlântico que é preciso preservar
    2:33
  • PS volta a subir nas intenções de voto e não baixa dos 40%
    2:01