sicnot

Perfil

Desporto

Tenista argentino Juan Mónaco retira-se aos 33 anos

O tenista argentino Juan Mónaco anunciou esta segunda-feira o fim da sua carreira profissional, despedindo-se dos 'courts' aos 33 anos, depois de 15 épocas no circuito profissional ATP.

"Queridos amigos, certamente estou a tomar a decisão certa. A nostalgia que me provoca... posso dizer-lhes que uma etapa maravilhosa da minha vida chegou ao fim. Retiro-me do ténis profissional", explicou, nas redes sociais, o tenista que atualmente era 196.º do ranking mundial.

Mónaco, que venceu nove torneios ATP, do qual chegou a estar no 'top 10', e integrou a seleção da Argentina na Taça Davis, assumiu que vive "muitos sentimentos juntos", pelo que admite que é "muito difícil resumi-los numa só nota".

"Sinto-me orgulhoso por ter disputado muitíssimos desafios durante tantos anos. Agradeço pelo que o ténis me deu: educação, disciplina, amizades e momentos inesquecíveis. Tristeza porque vou sentir falta de estar nos 'courts' de ténis", acrescentou.

Mónaco começou a carreira profissional em 2002, com 18 anos, e foi em 2012 que teve a melhor época, ao chegar ao 10.º lugar mundial. Também integrou a equipa argentina que venceu a Taça Davis em 2016.

Lusa

  • Curiosidades sobre o Mundial da Rússia
    3:08
  • Inocência e talento marcaram o 9.º dia de Mundial
    0:56
  • Ronaldo no País dos Sovietes: Algumas curiosidades
    1:54
  • O choro intenso de Neymar explicado pelo próprio
    0:51
  • A queda aparatosa do selecionador do Brasil
    0:05
  • Dia de limpezas em Chaves após violenta tempestade
    2:44
  • Athanasia, uma mulher sem medo das alturas
    0:35

    Mundo

    É grega, chama-se Athanasia Athineau, tem 29 anos e pertence à unidade de forças especiais da Grécia. O salto que podemos ver é de 10 mil pés, mas Athanasia faz também saltos de 30 mil. Neste caso, caíu a uma velocidade de 250 quilómetros por hora antes de abrir o pára-quedas.

  • Talheres de Hitler vendidos por 14 mil euros

    Mundo

    Um conjunto de duas facas, três colheres e três garfos de prata, que pertencia a Adolf Hitler, foi vendido em Dorset, Inglaterra, pelo valor de 12.500 libras (aproximadamente 14.200 euros). O serviço de talheres foi criado no âmbito das celebrações do 50.º aniversário do ditador nazi.

    SIC