sicnot

Perfil

Desporto

Arda Turan prefere deixar seleção turca do que pedir desculpa a jornalista

Leonhard Foeger

O futebolista turco Arda Turan considerou esta quinta-feira que a agressão a um jornalista foi "um erro honrado" e que prefere deixar a seleção turca a pedir desculpas pelo seu comportamento.

"Foi um erro honrado, porque o que me fizeram foi desonesto. O que tinha a dizer, disse-o na cara. Se o fizessem comigo, seriam muito mais honestos", explicou o jogador em entrevista ao diário turco Hürriyet, publicada hoje.

Na terça-feira, Arda Turan foi expulso da concentração da equipa nacional turca, depois de o médio do FC Barcelona agredir um jornalista no avião que transportava a equipa.

De acordo com a imprensa turca, a agressão ocorreu no voo que transportava a seleção, antes da escala em Trieste na viagem para a deslocação à Eslovénia, onde a seleção vai jogar no domingo.

O Hürriyet relatou que Turan agrediu repetidamente o jornalista, acusando-o de escrever mentiras sobre ele e outros jogadores.

O jogador apontou textos do jornalista dando conta das suas alegadas exigências remuneratórias e de outros elementos da seleção.

Lusa

  • Corpos de portuguesas trasladados segunda-feira 
    1:27
  • Incendiários vão passar o verão com pulseira eletrónica

    País

    Os tribunais vão poder condenar os incendiários a penas de prisão domiciliária, com pulseira eletrónica, durante as épocas de incêndio. A nova lei foi aprovada na semana passada, na Assembleia da República, e aguarda a promulgação do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

  • Estado vai tomar posse de terras abandonadas

    País

    O Governo vai recorrer ao Código Civil para permitir que o Estado tome posse de terras ao abandono. À margem da entrevista ao Expresso, o primeiro-ministro anunciou que o Governo irá acionar o artigo 1345º do Código Civil, que estabelece que as coisas imóveis sem dono conhecido se consideram do património do Estado.

  • "Trump, deixe-me ajudá-lo a escrever o discurso"
    0:47

    Mundo

    Arnold Schwarzenegger diz que Donald Trump tem o dever moral de se opor ao ódio e ao racismo. Num vídeo publicado nas redes sociais, o ator norte-americano e antigo governador da Califórnia encenou o discurso que Donald Trump devia ter. 

  • Hino da SIC tocado pela viola beiroa
    2:22