sicnot

Perfil

Desporto

Arábia Saudita pede desculpa por desrespeitar minuto de silêncio pelas vítimas de Londres

Arábia Saudita pede desculpa por desrespeitar homenagem às vítimas do atentado de Londres

A Federação de Futebol saudita pediu, hoje, desculpa pelo facto de a sua seleção ter desrespeitado o minuto de silêncio pelas vítimas dos atentados de Londres, no arranque do jogo da fase de qualificação para o Mundial 2018 contra a Austrália.

Quando o locutor do estádio de Adelaide pediu, na noite de quinta-feira, um minuto de silêncio para homenagear as oito vítimas dos atentados de sábado - duas delas australianas -, os 11 jogadores australianos alinharam-se e abraçaram-se no círculo central, enquanto que os seus opositores desmobilizaram, separaram-se e alinharam em campo, ignorando o gesto.

Este comportamento desencadeou uma série de reações por parte de espetadores e responsáveis políticos na Austrália, levando o presidente da Federação de Futebol da Arábia Saudita, Adil Ezzat, que raramente se expressa, a apresentar um pedido de desculpa.

"A Federação saudita lamenta profundamente e pede desculpa, sem reservas, por qualquer ofensa causada", indica em comunicado. "Os jogadores não tiveram qualquer intenção de desrespeitar a memória das vítimas ou de ferir os seus familiares, amigos ou qualquer pessoa afetada pela atrocidade", indicou Adil Ezzat, no mesmo comunicado.

A Federação de Futebol da Arábia saudita "condena todo o tipo de atos de terrorismo e extremismo e endereça as suas mais sinceras condolências às famílias de todas as vítimas", acrescenta a mesma nota.

A Federação de Futebol da Austrália tinha afirmado, depois do jogo, que os sauditas tinham conhecimento do plano de cumprir um minuto de silêncio antes da partida de qualificação, recusando-se a participar, com responsáveis sauditas a argumentar que essa tradição "não se enquadra com a cultura" saudita.

A Austrália venceu a Arábia Saudita por 3-2, partilhando o primeiro lugar do grupo B com o Japão, porém ambas com mais um jogo disputado do que os nipónicos.

Lusa

  • Marido de idosa que morreu na Sertã teve de caminhar durante duas horas para pedir ajuda
    1:44

    País

    A Altice garantiu esta sexta-feira que tentou agendar, por duas vezes, a reposição da linha telefónica na casa da idosa da Sertã, que morreu na semana passada por não ter comunicações que permitissem um socorro rápido. A mulher sentiu-se mal e o marido teve de caminhar durante duas horas para conseguir chegar à casa do vizinho mais próximo e pedir ajuda.

  • "Situação humanitária dos civis em Ghouta é aterradora"
    0:49

    Mundo

    O enviado especial da ONU para a Síria lançou esta sexta-feira um novo apelo a um cessar-fogo. O responsável está particularmente preocupado com a situação da população civil e diz que é preciso evitar que se repita em Ghouta o que se passou em Alepo.

  • Como é que alguém (Rúben Semedo) com tanto pode perder tudo?
    3:05
  • Instantes de uma noite de futebol europeu
    0:41
  • Não dá mais, Brasil!
    18:00