sicnot

Perfil

Desporto

Maradona prefere Messi ao "inacreditável" Cristiano Ronaldo

O antigo futebolista argentino Diego Maradona diz que prefere o seu compatriota Lionel Messi a Cristiano Ronaldo, mas reconheceu que o português é "inacreditável". "Prefiro Messi a Cristiano Ronaldo, mas devo admitir que ele é um animal. É inacreditável", disse o campeão do mundo de 1986, atualmente com 56 anos.

Maradona teve mais elogios para o madeirense, comparando-o a outro compatriota seu, que disputou os mundiais de 1994, 1998 e 2002: "Gostaria que ele fosse argentino. Faz-me lembrar o Gabriel Batistuta. Sempre que tocava na bola era golo."


Ainda assim, Maradona diz preferir Messi, que joga no Barcelona, e que considera o melhor jogador do planeta, mesmo que nunca tenha ganhado um mundial, tal como Cristiano Ronaldo.


"Não me lembro de o ver jogar mal. Sozinho, não poderá vencer um mundial. É preciso uma equipa sólida", justificou, considerando que "a história do futebol vai lembrar-se de Messi".


Maradona conclui a admitir que Messi e o futebol se engrandeceram mutuamente - "o futebol deu-lhe muito, tal como ele deu ao desporto -- e diz que "ser campeão do mundo apenas melhorará a sua imagem, resultando numa bela foto".

Lusa

  • Vídeo mostra passagem da carrinha a alta velocidade nas Ramblas
    0:33

    Ataque em Barcelona

    O jornal espanhol El Pais divulgou hoje  as primeiras imagens da carrinha que matou 13 pessoas e feriu mais de 100 em Barcelona. O vídeo foi registado por  uma câmara de videovigilância de um museu nas Ramblas. Mostra pessoas a desviarem antes da passagem rápida da carrinha branca. Esta terá sido a parte final do percurso feito pelo veículo.

  • Castelo Branco aposta na cultura para preservar raízes e fomentar turismo
    5:26

    SIC 25 Anos

    Com perto de 200 mil habitantes, o distrito de Castelo Branco luta para criar projetos diferenciadores para atrair e ancorar a população. O desemprego tem vindo a baixar, numa região fortemente envelhecida. A capital do distrito aposta na cultura para preservar as raízes e fomentar o turismo, e a Universidade da Beira Interior tem cada vez mais alunos estrangeiros.