sicnot

Perfil

Desporto

Sérgio Conceição confessou que desvinculação com o Nantes não foi pacífica

Regis Duvignau

Sérgio Conceição, treinador da equipa principal de futebol do FC Porto, admitiu esta quinta-feira, em entrevista à revista Dragões, que a desvinculação do Nantes para assumir o compromisso com o emblema 'azul e branco' não foi pacífica.

O técnico revelou que o presidente da equipa francesa, Waldemar Kita, lhe tentou "corta as pernas", não cumprindo a promessa que fez a Sérgio Conceição aquando a renovação de contrato e na qual lhe garantia que não o impediria de sair caso tivesse uma proposta de um clube melhor.

"Antes de renovar com o Nantes, o presidente apertou-me a mão e disse-me que, se aparecesse um clube de maior dimensão, não me cortaria as pernas", começou por explicar o agora treinador dos 'dragões' que acabou por admitir que esse acordo acabou por não ser cumprido de forma pacífica.

"A maior parte das pessoas não sabia que existia aquele compromisso verbal que, para mim, como eu sou, vale tanto ou mais do que uma cláusula ou folha assinada. Isso não foi respeitado e tentou-se ao máximo complicar a minha saída. Eu compreendi, por tudo o que disse, que as pessoas tenham ficado desiludidas e tristes com a minha saída, mas isto é futebol. Não quero estar a alimentar mais cenários nem a dar continuidade a esta novela. A novela acabou", explicou ainda.

Para Sérgio Conceição, "tudo foi feito da forma correta" mas admitiu que o "divórcio foi difícil para todos".

"Porque é que não se vê as coisas de outra forma? Renovo o contrato e um mês depois aparece um clube como o FC Porto. Não posso sair porquê? Não fiz nada de grave, não enganei ninguém e fui direto e correto com as pessoas. Depois de saber do interesse do FC Porto no dia seguinte de manhã estava em Nantes a dizer isso cara a cara ao presidente", lembrou ainda.

Sérgio Conceição admitiu que treinar o FC Porto não é um sonho tornado realidade, mas "uma questão de competência", e realçou, "muito sinceramente", que até "pensava chegar antes" ao banco dos dragões.

"Sinto que nos primeiros anos fiz um trabalho de qualidade", afirmou.

Assumir a equipa azul e branca sem títulos no currículo não é algo que deixe Sérgio Conceição menos confiante.

"É como um jogador de 19 anos que as pessoas podem considerar imaturo. Há jogadores de 19 anos que são fantásticos e mais maduros do que alguns de 35. É certo que as pessoas podem pensar que cheguei ao FC Porto sem ganhar nada, mas ganhei muita coisa ao nível a que treinei. Para se ganhar é preciso um projeto como este, por exemplo. Se o FC Porto não conquistar títulos, aí sim, será uma desilusão e uma frustração para mim", concluiu.

Lusa

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.