sicnot

Perfil

Desporto

Chris Froome diz que encontrão a Fabio Aru foi acidental

Benoit Tessier

O ciclista britânico Chris Froome (Sky), camisola amarela da 104.ª Volta à França, disse esta segunda-feira que não deu um encontrão de propósito no italiano Fabio Aru (Astana) durante a nona etapa, classificando as acusações como "loucas". Froome, que depois de nove etapas é lider com 18 segundos de vantagem sobre Aru, disse esta segunda-feira, durante o primeiro dia de descanso da prova, que o facto de ter ido contra o italiano se deveu a um "erro".

O encontrão seguiu-se a um momento em que o britânico pediu assistência devido a problemas de bicicleta e em que Aru escolheu para atacar.

"Foi claro para mim que tinha de trocar de bicicleta, e pareceu que o Fabio acelerou nesse momento", explicou Froome, vencedor por três vezes do grand boucle, que se referiu ainda à "regra não escrita de que quando um líder da prova tem um problema que ele não causou, o grupo não tenta aproveitar-se da situação".

Quanto ao contacto com Aru, numa das seis subidas da etapa de domingo, vencida pelo colombiano Rigoberto Urán (Cannondale Drapac), Froome revelou que este se deveu a uma "perda de equilíbrio" que o levou a descair para a direita, onde entrou em contacto com o italiano, a quem pediu desculpa "de imediato".

Quanto à desistência do colega de equipa Geraint Thomas, na sequência de uma queda, o camisola amarela explicou que o britânico, que era segundo à geral, é "uma perda enorme para a equipa", e contou ainda que telefonou ao "amigo" Richie Porte (BMC), depois do australiano também ter abandonado depois de uma queda aparatosa na última descida do dia, depois da subida ao Mont du Chat.

Porte fraturou a pélvis e a clavícula direita, enquanto Thomas partiu a clavícula direita, num dia em que nove ciclistas saíram da prova, restando apenas 181 dos 193 corredores iniciais, um deles o português Tiago Machado (Katusha Alpecin), 58.º à geral individual.

Lusa

  • Marinha e Exército dão luz verde ao Aeroporto do Montijo

    País

    De acordo com a edição deste domingo do Diário de Notícias, o Exército e a Marinha já comunicaram à Força Aérea disponibilidade para desocupar parcialmente a base aérea e o Montijo se transformar num num aeroporto complementar ao de Lisboa.

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Irão lança míssil de médio alcance
    1:13

    Mundo

    Três dias depois do discurso hostil de Donald Trump nas Nações Unidas, o Irão testou um novo míssil de médio alcance que atingiu uma altura de dois mil quilómetros. Teerão diz que o teste não viola o acordo nuclear.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.