sicnot

Perfil

Desporto

Jardel sente-se mais leve e feliz por voltar a "treinar forte"

Andr\303\251 Kosters

O defesa-central Jardel sente-se feliz por voltar a treinar forte, sem dores, e acredita que vai voltar a ser o futebolista que foi e ajudar o Benfica a atingir os seus objetivos.

"Estou mais leve, mais solto, o trabalho tem sido intenso, o que é importante nesta fase da época para que eu possa desenvolver o meu futebol e a equipa também, coletivamente. Sinto-me feliz por regressar e treinar forte, sem sentir dores", disse Jardel, em declarações à Benfica TV, quando questionado sobre a forma como está a correr a pré-época dos encarnados.

O brasileiro teve uma época 2016/17 para esquecer, marcada por lesões e por escasso tempo de competição: "A época passada não me correu bem, a nível pessoal, embora tenha corrido bem coletivamente. Os meus companheiros procuraram dar-me força para tirar um sorriso de mim, não foi fácil, eu que sempre procurei trazer alegria e união para o grupo."

Jardel já faz parte do grupo de jogadores mais antigos e tem noção da importância de transmitir a mística do clube aos mais novos: "Representar um clube enorme como o Benfica é uma grande responsabilidade e os atletas mais antigos, como o Luisão, o Salvio e eu, procuram sempre passar essa mensagem aos que chegam."

Sobre a época já em curso e os objetivos da equipa, Jardel fala em "trabalhar com total dedicação e encarar todos os jogos com o máximo respeito pelos adversários para chegar o mais longe possível em todas a provas e conquistar o penta".

"Temos dois jogos importantes na Suíça para a nossa preparação, em que vamos ter o apoio dos adeptos portugueses que aqui vivem. Queremos fazer dois jogos e regressar a Lisboa e prosseguir depois o nosso trabalho para que possamos alcançar os nossos objetivos", concluiu Jardel.

O Benfica parte na quarta-feira para a Suíça, onde vai realizar um estágio de pré-época e disputar dois jogos frente a duas equipas suíças, o Neuchatel Xamax e o Young Boys.

Lusa

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.