sicnot

Perfil

Desporto

Bardet saiu ileso das quedas no Tour, Contador nem por isso

O espanhol, que venceu a Volta a França em 2007 e 2009, reconheceu, no entanto, que as várias quedas em que esteve envolvido nesta edição complicam "bastante" as suas pretensões para os Pirenéus.

Franck Faugere

O ciclista francês Romain Bardet (AG2R La Mondiale) desvalorizou esta quarta-feira as quedas que sofreu ao longo da 11.ª etapa do Tour, ao contrário de Alberto Contador (Trek-Segafredo), que assumiu que vai ser difícil recuperar para os Pirenéus.

"Estou contente por esta etapa ter acabado. Foi uma jornada nervosa, estive duas vezes envolvido em quedas. Estou contente por ter saído incólume. Nunca é agradável cair duas vezes. São aqueles dias do Tour em que só resta ter paciência e esperar por dias melhores", resumiu o terceiro classificado da geral.

Bardet, que está a 51 segundos do camisola amarela Chris Froome (Sky), prometeu que na quinta-feira, na primeira jornada pirenaica entre Pau e o alto de Peyragudes, vai dar luta.

"Vamos fazer o máximo, vai ser uma etapa-maratona de mais de 200 quilómetros e com o perfil que eu gosto", completou o vice-campeão do ano passado.Ao contrário do francês, que, apesar de ter aparecido na transmissão televisiva a abanar a mão direita, saiu inteiro das suas quedas, Alberto Contador ficou maltratado.

"É verdade que, psicologicamente, o Tour testa os meus limites. Mas, se as pessoas pensam que vou dar-me como derrotado, é porque não me conhecem", disse à chegada da 11.ª etapa.

O espanhol, que venceu a Volta a França em 2007 e 2009, reconheceu, no entanto, que as várias quedas em que esteve envolvido nesta edição complicam "bastante" as suas pretensões para os Pirenéus.

"Por nada no mundo vou desistir. Quando as coisas correm mal, em lugar de pensares noutros objetivos, deves ser ainda mais forte, mais determinado", defendeu o madrileno, que está a 05.15 minutos de Froome.

Lusa

  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Marcelo Rebelo de Sousa não quis comentar diretamente a polémica em torno da lista das vítimas mortais de Pedrógão Grande, mas recorreu às cheias de 1967 para lembrar como as tragédias eram tratadas no tempo da ditadura. O Presidente da República defendeu que não é possível esconder a dimensão de uma tragédia num regime democrático. Há 50 anos, Marcelo Rebelo de Sousa acompanhou de perto a forma como o regime tentou esconder a verdadeira dimensão do incidente.

  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • À descoberta de Dago, o destroço mais visitado em mergulho de profundidade
    13:51
  • Uma viagem aérea pela aldeia histórica de Monsanto
    0:50
  • "Comecei por ajudar uma família que me pediu um plástico para se proteger"
    4:51
  • Quase três mil toneladas de plástico ameçam tartarugas no Mediterrâneo
    2:35

    Mundo

    O Mar Mediterrâneo está sob a ameaça de se tornar uma lixeira com três mil toneladas de plástico a flutuarem entre a Europa e África. Há milhões de turistas a nadarem nestas águas e há espécies marinhas que já estão em perigo. No Chipre, os cientistas estão a tentar proteger tartarugas, cuja alimentação já é quase totalmente de plástico.

  • Deputado da Malásia diz que negar sexo ao marido é uma forma de abuso

    Mundo

    Um deputado malaio tem sido alvo de algumas críticas na internet, depois de ter dito que negar sexo a maridos é uma forma de abuso psicológico e emocional por parte das mulheres. As declarações de Che Mohamad Zulkifly Jusoh foram feitas durante um debate sobre as alterações às leis de violência doméstica, na quarta-feira.

    SIC